Apple e Americanas são condenadas a dar carregador e fones do iPhone

Ao entrar com a ação, o consumidor alegou que ter que comprar carregador e fones de ouvido configuraria venda casada; Apple e Americanas foram condenadas (REUTERS/Peter Nicholls)
Ao entrar com a ação, o consumidor alegou que ter que comprar carregador e fones de ouvido configuraria venda casada; Apple e Americanas foram condenadas (REUTERS/Peter Nicholls)
  • Apple parou de vender seus smartphones com os acessórios e passou a oferecê-los por preços à parte

  • Juíza determinou ainda uma multa no valor de R$ 5.000

  • De acordo com o artigo 39 do Código do Consumidor (CDC), a "venda casada" é uma prática abusiva e proibida no Brasil

A juíza Dalia Zaro Queiroz, da Vara do Juizado Especial do Consumidor de Salvador (Bahia), determinou que a Apple e as Lojas Americanas forneçam carregador e fones de ouvido a um consumidor que comprou um iPhone.

A Apple parou de vender seus smartphones com os acessórios e passou a oferecê-los por preços à parte. No entanto, ao entrar com a ação, o consumidor alegou que ter que comprar carregador e fones de ouvido configuraria venda casada.

Em sua decisão, a juíza proferiu que “foge à razoabilidade que um aparelho celular seja vendido sem o respectivo carregador, porquanto seja necessária a reposição de carga para que seja funcional”. Além dos acessórios, Dalia estipulou ainda o pagamento de uma multa no valor de R$ 5.000.

Em abril, uma consumidora de Goiânia teve de ser indenizada por comprar um iPhone sem o carregador. Conforme a sentença dada pelo juiz do 6º Juizado Cível de Goiânia, Vanderlei Caires Pinheiro, a Apple deve indenizar a consumidora em R$ 5 mil por realizar a "venda casada" dos dispositivos da empresa.

De acordo com o artigo 39 do Código do Consumidor (CDC), a "venda casada" é uma prática abusiva e proibida no Brasil, assim, não é permitido vender celular e carregador de forma separada.

Apple economiza R$ 34 bilhões com retirada de carregadores do iPhone

A Apple economizou 5 bilhões de libras, equivalentes a R$ 33,63 bilhões, ao não incluir os carregadores de iPhone nas caixas dos aparelhos vendidos. O cálculo foi feito por analistas ouvidos pelo Daily Mail.

Estima-se que a empresa tenha vendido cerca de 190 milhões de celulares em todo mundo – desde que anunciou a mudança, em 2020 - sendo que cada um corresponderia a uma economia de 27 libras (R$ 181,6).

De acordo com o jornal, a empresa ainda teria lucrado 225 milhões de libras (R$ 1,5 bilhão) com a venda separada de carregadores, já que o acessório não estava mais presente nas caixas dos novos celulares.