Apple elevará preços em loja de aplicativos para alguns países da Europa e Ásia

(Reuters) - A Apple disse nesta terça-feira que aumentará os preços em sua loja de aplicativos a partir do próximo mês em toda a zona do euro e em alguns países da Ásia, bem como no Chile, na América do Sul.

Os novos preços de aplicativos e de compras dentro de aplicativos, excluindo assinaturas automaticamente renováveis, entrarão em vigor a partir de 5 de outubro, disse a Apple em post em blog.

A companhia ajusta periodicamente seus preços em diferentes regiões e havia reduzido os valores para países da zona do euro no ano passado para correção monetária e de impostos. Na ocasião, os preços iniciais de muitos aplicativos caíram para 0,99 euro, de 1,09 euro.

O aumento de preços anunciado nesta terça-feira eleva os valores iniciais para 1,19 euro.

Um rápido aumento na inflação, nas taxas de juros e nos preços da energia atingiu em 2022 o iene, o euro e a maioria das moedas de economias emergentes.

Além dos países da zona do euro, os aumentos de preços atingirão a Suécia e a Polônia, na Europa; Japão, Malásia, Paquistão, Coreia do Sul e Vietnã, na Ásia; e Chile, na América do Sul.

Para alguns países como o Vietnã, o aumento foi devido a novas regulamentações relacionadas à cobrança de impostos dos consumidores, disse a Apple.

A empresa, que lançou sua última geração de iPhones no início deste mês, vem desenvolvendo seus negócios de serviços para reduzir a dependência em relação aos seus principais smartphones.

A receita da unidade de serviços da Apple, que inclui sua loja de aplicativos, vem crescendo rapidamente nos últimos anos e agora gira em torno de 20 bilhões de dólares por trimestre.

(Por Maria Ponnezhath, em Bengaluru, e Supantha Mukherjee, em Estocolmo)