Apple está sendo processada por queda de avião

(Pixabay)

Familiares de pessoas que morreram com a queda do voo 804 da EgyptAir, acidente que ocorreu em maio 2016, estão processando a Apple por participação no evento que acabou com a morte de 66 pessoas.

De acordo com o site TMZ, as investigações a respeito do acidente revelam que um iPhone pertencente ao piloto teria pegado fogo e iniciado o incêndio responsável pela queda da aeronave no Mar Mediterrâneo. Para os familiares das vítimas, há indícios suficientes para apontar a Apple, fabricante do celular, como a responsável pela situação.

Entenda o caso

Um dos pilotos teria levado um iPhone 6 e um iPad Mini para o voo. Os equipamentos estariam guardados na cabine e a explosão do celular teria iniciado o incêndio. Especialistas em segurança e aviação afirmam que é difícil que um dispositivo do tipo tenha causado um acidente. Para eles, a causa mais provável é a de um curto-circuito.

Eles relatam que não houve nenhum contato dos tripulantes com a torre de controle informando sobre uma emergência, algo comum quando acontece esse tipo de problema. A caixa preta também trouxe informações sobre o fogo no banheiro que fica na parte frontal da aeronave, o que também não pode ser explicado pela explosão de um smartphone.

Apple

“Não fomos contatados por nenhuma autoridade que esteja investigando esse evento trágico. Nós não vimos os relatórios, mas entendemos que não há evidências para vincular esse evento aos produtos da Apple. Se os investigadores tiverem perguntas para nós, é claro que ajudaremos de qualquer maneira que pudermos. Testamos rigorosamente nossos produtos para garantir que eles atendam ou excedam os padrões internacionais de segurança”, explica a fabricante em comunicado.