Apple explica por que o iPhone 11 está sempre enviando a localização do aparelho

Rafael Rodrigues da Silva

No começo desta semana, o jornalista especializado em segurança Brian Kebs descobriu que o iPhone 11 Pro continuava enviando a localização do aparelho para a Apple mesmo que o usuário desabilitasse a opção de serviços de localização nas configurações do telefone. E isso entrava em conflito não apenas com o desejo do usuário, mas também com a própria política de privacidade da Apple.

Ao perguntar para a empresa sobre o porquê deste comportamento, a resposta dada foi que isso era “algo esperado”, e não significava nenhuma violação de segurança ou bug nos serviços de localização. Isso fez com que o jornalista chegasse a uma conclusão lógica: a de que esse envio de localização estava ligado a alguma função específica dos aparelhos, que precisava fazer o envio desses dados mesmo que o usuário não quisesse compartilhar sua localização com ninguém.

E, nesta quinta-feira (5) a Apple provou que ele estava certo. Dois dias depois do artigo original de Krebs ter sido publicado, a empresa resolveu dar uma explicação mais detalhada sobre esse comportamento, que é algo comum aos três modelos do iPhone 11. Isso porque todos eles possuem uma tecnologia chamada de “ultra wideband”. Ela atualmente é usada para uma única finalidade, que é o compartilhamento de arquivos entre usuários através do AirDrop, mas acredita-se que ela será importante também para novas funções que ainda não foram anunciadas pela empresa.

É essa tecnologia que seria a culpada pelos envios de dados de localização, pois ela dá aos mais recentes aparelhos da Apple uma espécie de “percepção espacial”, e permite que eles consigam localizar outros aparelhos que também possuem o “ultra wideband” na região. De acordo com a explicação da Apple, não há envios de localização para os servidores da empresa, pois apesar dessa tecnologia criar um pacote de dados igual aos de qualquer outro mecanismo de localização, ele é processado apenas pelo próprio telefone. Assim, se um usuário desabilita o envio de dados de localização em seu telefone, eles continuam não sendo enviados e coletados pela Apple.

Essa informação foi confirmada por outros especialistas em segurança digital. De acordo com Will Strafach, executivo-chefe do Guardian Firewall, afirmou que uma análise dos novos iPhones revelou que não há nenhuma evidência de que essas informações estejam sendo enviadas para qualquer servidor externo.


Por causa de toda a confusão que a descoberta gerou, a Apple afirmou que nas próximas atualizações irá providenciar uma opção para que os usuários possam desligar a “ultra wideband”. Mas, mesmo assim, Strafach ainda culpa a Maçã por todo o burburinho gerado, já que esse problema não existiria se a empresa já tivesse explicado tudo desde o momento em que foi feita a descoberta.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: