Apple: Funcionários relatam más condições de trabalho

·2 min de leitura
Às vezes, os contratados são obrigados a atender três pessoas simultaneamente e resolver as questões em menos de dois minutos. Foto: Getty Images.
Às vezes, os contratados são obrigados a atender três pessoas simultaneamente e resolver as questões em menos de dois minutos. Foto: Getty Images.
  • Reportagem em site americano traz novas denúncias envolvendo a Apple;

  • Entre as reclamações dos funcionários estão os baixos salários e o sistema de avaliação da empresa;

  • Segundo porta-voz da companhia, a Apple está comprometida em criar e manter um espaço de trabalho positivo e inclusivo.

Recentemente, a Apple tem sido alvo de diversas polêmicas e escândalos, como abusos, demissões e acusações de monopolização do mercado. Agora, mais um caso vem à tona. 

Segundo informações de uma reportagem de um site norte-americano, os horistas das lojas de varejo da marca, assim como o atendentes remotos, estão passando por problemas advindos das condições de trabalho.

Entre as reclamações estão o salário, que varia entre US$ 19 e US$ 25 por hora, e a falta de um plano de carreira por parte da Apple. Por exemplo, muitos desses funcionários receberiam menos de US$ 21 por hora tendo até seis anos de loja.

Leia também:

Outra questão protestada é o sistema de avaliação da empresa, que é baseada na pesquisa realizada com cliente. Como efeito, as pontuações baixas têm relação com fatores fora de controle do funcionário.

Já no trabalho remoto, a baixa remuneração é também um problema, que se soma aos maus tratos dos clientes por telefone durante o atendimento. 

Às vezes, os contratados são obrigados a atender três pessoas simultaneamente e resolver o embaraço em menos de dois minutos.

Um dos casos recentes e mais extremos na Apple foi o de Mark Calivas, que cometeu suicídio em setembro, após conseguir licença médica para tratar a depressão gerada por anos de rotina estressante.

Em um e-mail enviado por Calivas à área de recursos humanos da companhia, o próprio afirmava que foi "vítima de intimidação, humilhação pública, bullying, calúnia, retaliação e mentiras". Segundo relatos, o homem sofreu assédio da gerente da loja durante os sete anos em que trabalhou.

De acordo a Apple, a empresa está comprometida em criar e manter um ambiente de trabalho positivo e inclusivo. O porta-voz da companhia não comentou os casos citados, mas afirma que denúncias estão sendo investigadas.

As informações são do Tecmundo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos