Apple muda diretrizes em sua loja para evitar pegadinhas em assinaturas

Wagner Wakka

As lojas de jogos e apps estão recorrentemente em busca de novas formas de coibir ações ilegais dentro de suas plataformas. Este é o caso na Apple. A companhia ajustou, nesta segunda-feira (28), as diretrizes para programas que oferecem assinaturas na App Store. Agora, é preciso que os planos deixem bem claro quais os benefícios que a pessoa terá em assiná-los e outras novas regras.

A proposta é fazer com que cada vez menos usuários caiam em propostas de assinaturas que não cumprem o que prometem ou baixem um app acreditando que ele é gratuito, mas que passa a ser pago depois de um certo período de demonstração.

Dessa forma, a Apple apresentou as novas diretrizes com imagens bem claras em seu site. É preciso, por exemplo, que o app destaque os principais benefícios que a assinatura oferece para que o usuário possa cobrar a empresa caso isso não seja cumprido.

Exemplo de apresentação considerada adequada pela empresa (Foto: Divulgação/Apple)

Outra modificação é de que é preciso haver um botão dentro do próprio aplicativo para que o usuário possa gerenciar suas assinaturas naquele programa (caso haja, obviamente), evitando que ele tenha que seguir os passos de ir até as configurações do aparelho para cancelar uma assinatura.

Para programas com testes para acima de três dias, a desenvolvedora precisa deixar bem claro que a funcionalidade será cobrada após um período. Com isso, a Apple passou a exigir que se usem verbos de continuidade como começar ou continuar nos botões de baixar esses app, já deixando claro que pode haver mudança no meio do caminho.

Algumas plataformas também podem usar sistemas fora da App Store para oferecerem suas assinaturas. Por exemplo, Spotify e Netflix já o fazem exatamente pelo seu site, sem passar pela Apple.

Fonte: Canaltech