Apple muda produção de MacBook e Apple Watch da China para Vietnã

 Vietnã já fabrica alguns produtos da Apple, como iPads e AirPods (CFOTO/Future Publishing via Getty Images)
Vietnã já fabrica alguns produtos da Apple, como iPads e AirPods (CFOTO/Future Publishing via Getty Images)
  • Mudança seria causada pelas constantes quarentenas sanitárias devido ao COVID-19;

  • País já fabrica alguns dos produtos da Apple, sendo o principal polo de fabricação fora da China;

  • Apple implementa uma nova estratégia de diversificação de locais de produção.

A Apple está mudando a produção dos MacBooks e dos Apple Watchs da China para o Vietnã, segundo informações da própria companhia divulgadas nesta quarta-feira (17). A decisão faz parte de um plano maior estratégico da empresa americana de diversificar os países que fabricam seus dispositivos.

No início do mês, analistas afirmaram que a gigante de tecnologia pretende também fechar algumas de suas fábricas de Taiwan, devido a receios de que a escalada do conflito no país possa atrasar a produção dos iPhones 14. Já a saída da China pode ser atribuída às constantes quarentenas que o país ainda sofre, que podem levar a paralisações na fabricação.

Desconsiderando a China, o Vietnã é hoje o centro de produção mais importante para a Apple. O país, que já conta com fábricas responsáveis pela fabricação de iPads e AirPods, quer se mostrar mais competitivo no mercado internacional e a possibilidade de produzir o Apple Watch, um dispositivo altamente sofisticado devido a seu tamanho, dará credibilidade quanto ao refinamento de suas indústrias.

A estratégia da Apple, no entanto, não é focar sua produção no Vietnã. Um dos países mais promissores para receber as linhas de produção da companhia americana é a Índia, país do sul asiático vizinha à China e próxima do Vietnã.

Segundo uma reportagem do Times of India, o país ainda não está pronto para receber as fábricas do iPhone 14, aparelho mais tecnológico da Apple. A mudança, entretanto, é bastante desejada pelos indianos, que são hoje o principal competidor econômico da China e querem se afirmar no cenário industrial mundial.