Apple perde executivos responsáveis por suprimentos em meio à crise da Covid-19

Felipe Ribeiro

Em meio à crise gerada pela Covid-19, que afetou muitas empresas ao redor do mundo que possuem ligações com a China, a Apple vê dois de seus executivos de alto escalão e que são ligados à área de suprimentos em processo de desligamento da empresa. Segundo matéria da Bloomberg, Nick Forlenza vice-presidente de design de fabricação, se aposentou, enquanto Duco Pasmooij, outro vice-presidente que trabalhou em operações, está discutindo uma saída no futuro próximo.

Forlenza havia trabalhado com Sabih Kahn como executivo encarregado do projeto de fabricação, liderando uma equipe de executivos da cadeia de suprimentos e operações globalmente responsáveis ​​pelos processos de produção e equipamentos de fabricação. Já Pasmooij ajudou a liderar as operações de produção do produto mais importante da Apple: o iPhone.

Ainda segundo a reportagem da Bloomberg, a Apple tem cada vez pinçado executivos do setor de operações e suprimentos para cargos elevados. Os exemplos mais latentes são do próprio Tim Cook, hoje CEO da companhia, e Jeff Williams, líder do setor de operações. Sabih Kahn, citado acima, é o vice-presidente senior deste setor.

Fábrica da Apple, na China

O impacto a médio prazo da interrupção na produção da Apple por conta do coronavírus se torna cada vez mais incerto à medida que o surto não é controlado. A grande questão atualmente é se o lançamento ou a disponibilidade dos novos modelos de iPhone deste ano serão afetados, com um relatório recente sugerindo que as restrições de viagem aos engenheiros de validação da produção podem ser problemáticas.

De acordo com nota da Reuters, era comum que engenheiros da Apple estivessem a caminho da China nesta época do ano para começar a descobrir o processo de montagem dos próximos iPhones, sempre lançados no outono americano (primavera brasileira). No entanto, com a proibição de viagens devido à Covid-19, isso não está acontecendo.

A principal montadora de iPhone da Foxconn tem tentado incentivar sua equipe a voltar ao trabalho. É provável que os desafios das operações e de supply chain sejam enormes enquanto o problema do coronavírus perdurar.


Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: