Aprovação de Biden melhora um pouco após recorde negativo, diz pesquisa Reuters/Ipsos

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Presidente dos EUA, Joe Biden, faz pronunciamento sobre armas em Washington
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Por Jason Lange

WASHINGTON (Reuters) - A aprovação do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, cresceu três pontos percentuais esta semana, para 39%, se recuperando após a semana anterior, quando igualou o pior patamar de seu governo, segundo uma pesquisa Reuters/Ipsos concluída nesta terça-feira.

A pesquisa nacional de dois dias descobriu que 55% dos norte-americanos desaprovam a atuação de Biden.

A taxa de aprovação de Biden está abaixo dos 50% desde agosto de 2021, um possível alarme de que o Partido Democrata caminha para perder o controle de pelo menos uma das Casas do Congresso nas eleições parlamentares de 8 de novembro.

A popularidade de Biden este ano tem sofrido com o aumento da inflação, com a invasão da Rússia à Ucrânia ajudando a elevar os preços do combustível e com as cadeias de abastecimento ainda prejudicadas pela pandemia de Covid-19.

Na semana passada, a aprovação de Biden estava em 36%, igualando o ponto mais baixo da sua Presidência, atingido em maio.

Na sexta-feira, no entanto, Biden recebeu um relatório econômico que mostrou forte crescimento em postos de trabalho nos EUA no último mês, com a taxa de desemprego se mantendo em 3,6%.

A aprovação dentro do seu próprio partido cresceu esta semana para 74%, de 69%. Apenas 12% dos republicanos aprovam o seu desempenho desde que assumiu o poder.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos