Aprovação do Orçamento abre caminho para antecipar 13º salário de aposentados e pensionistas do INSS

Manoel Ventura, Geralda Doca e Fernanda Trisotto
·1 minuto de leitura

Com mais de três meses de atraso, o Congresso Nacional aprovou, na noite desta quinta-feira, o Orçamento 2021, abrindo espaço para que o governo antecipe o pagamento do 13º salário de aposentados e pensionistas do INSS. Mais cedo, antes das votações, o presidente Jair Bolsonaro já havia garantido que, com a aprovação do Orçamento, poderia anunciar ainda nesta semana a alteração no calendário.

— Caso o orçamento seja aprovado hoje (ontem), como está previsto, poderemos já na próxima semana, talvez nesta ainda, antecipar a primeira parcela do décimo terceiro para aposentados e pensionistas do INSS, isso equivale a aproximadamente R$ 50 bilhões — disse Bolsonaro, antes de saber o resultado no Congresso.

Mesmo que o governo federal anuncie a antecipação da primeira parcela do 13º para os aposentados e pensionistas do INSS esta semana, os beneficiários somente receberão o dinheiro entre os últimos dias de abril e início de maio.

Isso porque a antecipação da gratificação natalina é feita junto com o pagamento regular do benefício por questões operacionais. A segunda parcela do 13º deverá ser paga entre o fim de maio e o início de junho. Ao todo serão beneficiadas 29,6 milhões de pessoas, entre aposentados e pensionistas.

O plano inicial da equipe econômica era pagar a primeira parcela do 13º em fevereiro e a segunda em março para estimular a atividade econômica, diante do aumento de casos de Covid-19. A ideia, no entanto, foi adiada diante da demora na apreciação do Orçamento pelos parlamentares.

Na mesma cerimônia, o presidente Jair Bolsonaro também comentou sobre sobre a liberação da nova rodada do auxílio emergencial. Mas não revelou a data do início dos pagamentos, aguardada pelos beneficiários, que esperam há mais de três meses pela nova rodada do auxílio.