Aprovação de Bolsonaro cai entre evangélicos e fica em 45%, aponta pesquisa

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
APARECIDA DO NORTE, BRAZIL - OCTOBER 12: Brazilâs President Jair Bolsonaro (2nd L) takes part in the celebration of the day of Our Lady of Aparecida, patroness of Brazil at National Shrine in the city of Aparecida do Norte, Brazil, on October 12, 2021. (Photo by Paulo Lopes/Anadolu Agency via Getty Images)
Em 12 de outubro, o presidente Jair Bolsonaro esteve no Santuário de Aparecida, em São Paulo (Foto: Paulo Lopes/Anadolu Agency via Getty Images)
  • Aprovação de Jair Bolsonaro entre os evangélicos caiu, mas continua positiva, aponta pesquisa PoderData

  • A avaliação do trabalho do presidente melhorou entre os católicos, mas saldo é negativo

  • No geral, aprovação do governo Bolsonaro melhorou nos últimos 15 dias

A aprovação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) caiu entre os evangélicos. Segundo o levantamento da pesquisa DataPoder, 45% dos seguidores da religião consideram o trabalho do presidente ótimo ou bom – em agosto, o índice era de 50%.

Ao mesmo tempo, aumentou o número de evangélicos que consideram o governo ruim ou péssimo e o que entendem que o trabalho de Bolsonaro é regular. Ainda assim, o saldo de Bolsonaro entre os evangélicos segue positivo.

Avaliação do trabalho de Bolsonaro entre os evangélicos:

  • Ótimo/bom: 45% (-5)

  • Regular: 16% (+5)

  • Ruim/Péssimo: 37% (+3)

  • Não sabem: 5% (-2)

A pesquisa foi feita entre os dias 11 e 13 de outubro. Foram ouvidas 2.500 pessoas em 469 municípios brasileiros, em 27 unidades da federação, por meio de ligações para telefones fixos e celulares. A margem de erro é de 2 pontos percentuais.

Leia também:

Tensão com evangélicos pelo STF

Recentemente, Jair Bolsonaro entrou em rota de colisão com líderes evangélicos por causa de André Mendonça, indicado do presidente para o Supremo Tribunal Federal. Bolsonaro propôs o nome de Mendonça há mais de 3 meses, mas a Comissão de Constituição e Justiça do Senado, presidida por Davi Alcolumbre, ainda não colocou a indicação em votação. A promessa do presidente era nomear um ministro “terrivelmente evangélico”.

Por causa desta situação, líderes evangélicos têm criticado Bolsonaro, alegando que ele não está fazendo esforço suficiente para emplacar a nomeação de Mendonça. Entre os críticos, está o pastor Silas Malafaia, da Assembleia de Deus Vitória em Cristo.

Melhora entre os católicos

A aprovação de Bolsonaro entre os católicos melhorou em relação a agosto. Há dois meses, 67% entendiam que o trabalho do presidente era ruim ou péssimo. Hoje, o índice é de 57%. A aprovação subiu de 21% para 26%. O saldo entre os católicos é negativo.

Avaliação do trabalho de Bolsonaro entre os católicos:

  • Ótimo/bom: 26% (+5)

  • Regular: 17% (+10)

  • Ruim/Péssimo: 57% (+10)

  • Não sabem: 0% (-5)

População no geral

Segundo o levantamento do PoderData, Jair Bolsonaro teve uma melhora na aprovação geral nos últimos 15 dias. A reprovação do presidente caiu de 63% para 58%, enquanto a aprovação subiu de 31% para 33%.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos