Aprovado por Jorge Jesus, Fenerbahçe sinaliza interesse em Nino; Fluminense não recebeu proposta oficial

Antes do Fluminense empatar em 2 a 2 com o São Paulo, no último domingo, no Morumbi, a notícia de que o zagueiro Nino seria desfalque pegou todos de surpresa. Luccas Claro foi o substituto, enquanto o titular sequer ficou no banco de reservas. A reação natural dos torcedores é que o defensor já estaria negociado com algum clube europeu, mas o GLOBO apurou que a situação não é bem assim.

Leia: Como Dorival conseguiu em um mês de Flamengo o que Paulo Sousa não foi capaz em seis

Lembra dela? Flórida Cup começa neste sábado; saiba quem joga e por que não há mais brasileiros

Nino não está vendido, mas desperta interesse. O tal clube europeu seria o Fenebahçe, que já entrou em contato com o estafe do zagueiro e sinalizou que fará uma proposta oficial em breve. No entanto, nenhum documento chegou ao Fluminense. Na imprensa turca, a notícia é que a oferta giraria em torno de 4 milhões de euros (cerca de R$ 21 milhões). O valor é menor do que o aceito pelo clube na negociação com o Tigres-MEX, em janeiro deste ano.

Vasco: Alex Teixeira começa treinos segunda-feira e estreia depende de evolução

Veja lista: Dorival Júnior recupera jogadores e cria 'problemas bons' no Flamengo

O Fluminense acredita que o valor pago pelo Benfica em João Victor, ex-Corinthians — € 8 milhões de euros (cerca de R$ 43 milhões) — é o mínimo para abrir negociação. O entendimento tricolor é que Nino é mais valorizado e tem mais potencial que o ex-atleta corintiano.

A questão é que não foi esse o motivo que fez Nino ser desfalque contra o São Paulo. O zagueiro chegou a ir com a delegação no Morumbi, mas passou mal e chegou a vomitar no vestiário. Luccas Claro foi pego de surpresa e teve que acelerar o aquecimento ao saber que iniciaria jogando. O clube, inclusive, já havia divulgado o nome de Nino para o quarto árbitro e no material para a imprensa.

Isso significa que Nino não será negociado? Não. Só que não há propostas oficiais para ele neste momento — cenário que pode mudar nos próximos dias. Caso a proposta do Fenerbahçe chegue oficialmente, o Fluminense não fechará as portas e sentará para ouvir. Obviamente, negociará um valor maior. Quem está intermediando o interesse turco é o mesmo empresário que levou o volante Willian Arão, ex-Flamengo, para o país.

Nino é visto como um dos atletas mais centrados do elenco e a especulação de que o zagueiro deixou de jogar por causa de uma proposta europeia incomodou pessoas próximas a ele. O defensor já se encontra melhor e será relacionado para a partida contra o Goiás, na próxima quarta-feira.

Na negociação com o Tigres-MEX, o Fluminense desejava ficar com R$ 25 milhões, no mínimo. Esse foi um dos motivos que fez o acordo não ser concretizado. Dono de 60% dos direitos econômicos do atleta, recebeu uma proposta de U$ 5 milhões de dólares (R$ 28,3 milhões na cotação atual). Houve uma tentativa de acordo financeiro com o Criciúma, dono dos outros 40%, mas as conversas não avançaram.

A ideia do Fluminense era receber U$ 4,5 milhões de dólares (cerca de R$ 25,5 milhões), com o Criciúma ficando com U$ 500 mil dólares (R$ 2,8 milhões). Anteriormente, Nino também havia recebido uma proposta de um clube do Oriente Médio, onde recebia um salário maior do que o oferecido pelo Tigres-MEX, mas decidiu permanecer.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos