Opositor convoca protesto contra aumento de idade de aposentadoria na Rússia

Moscou, 19 jun (EFE).- O líder opositor Alexei Navalny convocou para o dia 1º de julho um protesto nacional contra os planos do governo da Rússia de aumentar progressivamente a idade mínima de aposentadoria em cinco anos para os homens e em oito para as mulheres, até chegar aos 65 e 63, respectivamente.

"O aumento da idade de aposentadoria que (o presidente Vladimir) Putin e (o primeiro-ministro Dmitri) Medvedev pensaram em realizar é um autêntico crime", escreveu Navalny em seu perfil no Instagram.

Segundo o opositor, trata-se de "roubar milhões de pessoas" sob o pretexto de que chegou o momento para realizar tal reforma.

"Vamos protestar contra isso com todas as nossas forças e lhes convocamos a fazer o mesmo", discursou Navalny para seus seguidores.

Para isso, o opositor acrescentou que solicitou permissão às autoridades para realizar comícios em diversas cidades da Rússia, mas nenhuma delas sedia jogos da Copa do Mundo.

No total, os correligionários de Navalny solicitaram autorização municipal para se manifestarem no dia 1º de julho em 20 cidades russas.

O anúncio de Navalny de lançar um protesto nacional coincide com o debate previsto hoje no parlamento russo sobre a polêmica medida de aumentar a idade mínima da aposentadoria, depois que o governo russo deu sinal verde para tal medida na semana passada.

A reforma estabelece um período de transição entre 2019 e 2034 para elevar a idade de aposentadoria das mulheres, dos 55 anos atuais para 63.

No caso dos homens, que agora se aposentam aos 60 anos, o período de transição terminará em 2028 e, a partir disso, eles se aposentarão aos 65 anos.

Ao justificar o apoio do governo à polêmica medida, o primeiro-ministro alegou que a idade atual de aposentadoria foi determinada na época soviética, quando as pessoas viviam cerca de 40 anos", enquanto agora a média de esperança de vida na Rússia é de 67,7 anos para os homens e de 77,6 para as mulheres.

Por sua vez, outro dirigente opositor russo, Sergei Udaltsov, líder da Frente de Esquerda, convocou outro protesto contra o aumento da idade mínima de aposentadoria para 4 de julho em Moscou.

Udaltsov, que saiu da prisão no ano passado após cumprir quase cinco anos de condenação por participar de distúrbios antigovernamentais, disse que os opositores querem se concentrar na Praça da Revolução e acredita que cerca de 2 mil pessoas devem comparecer ao evento.

O líder da Frente de Esquerda acrescentou que, durante o ato, seus correligionários planejam exigir a convocação de um referendo nacional sobre a medida, e afirmou que está aberto a discutir a possível mudança do protesto para outro lugar, caso não receba autorização para essa praça central próxima da Praça Vermelha.

Além disso, um pedido ao governo russo para não aumentar a idade mínima de aposentadoria já alcançou hoje mais de 1,8 milhão de assinaturas na plataforma Change.org. EFE