Aquário do Rio tem exposição sobre óleo em praias, tubarões e sereia

MARINA LANG
***FOTO DE ARQUIVO*** RIO DE JANEIRO - RJ 09.12.2019 - Localizado na região do Porto Maravilha, o AquaRio, maior Aquário da América do Sul, se consolida como um dos pontos mais visitados do Rio de Janeiro. (Foto: Raquel Cunha/Folhapress)

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Quem circula pelos corredores do maior aquário da América do Sul nem imagina que, desde a sua abertura em 2016, mais de 3,3 milhões de pessoas percorreram seu trajeto de 470 metros.

Situado ao lado do novo alvoroço turístico do Rio, a maior roda-gigante da América Latina, o AquaRio é uma experiência que, além de entreter, busca educar crianças e adolescentes sobre a vida marinha.

Em uma das ações, por exemplo, uma "sereia" ensina os visitantes sobre as consequências do derramamento de óleo nas praias brasileiras.

"A sereia tem um trabalho muito forte com o nosso time de educação. Não é só para a criança chegar e olhar a sereia: é para ela sair daqui com uma imagem e conhecendo os problemas do oceano, saindo daqui como um agente transformador de conservação. É um programa para a família, para o turista, para o carioca", disse Raphael Lobo, diretor de operações do local.

Batizada de "A vida no mar pede ajuda!", a campanha vigora até 31 de janeiro e propõe ao público que "repense alguns hábitos, como, por exemplo, jogar óleo na pia, lixo na praia ou consumir espécies em extinção. Tudo isso impacta diretamente nos ecossistemas marinhos", diz o biólogo marinho Paulo Salomão, responsável pelo setor de educação do AquaRio.

A sereia fará seus mergulhos nos tanques do AquaRio diariamente, às 10h30. Ao final da jornada, o espectador terá acesso a uma exposição sobre o derramamento de óleo.

Mas as estrelas da casa são os três tubarões da espécie Mangona que nadam no Grande Tanque Oceânico: Margarida, Donald, Gastão. 

Verdadeiro museu vivo, o AquaRio abriga entre 2.000 e 3.000 animais, entre crustáceos, estrelas-do-mar, corais, plânctons e peixes espalhados por 4,5 milhões de litros d'água distribuídos em 28 tanques.

O visitante mais corajoso pode, ainda, entrar no maior tanque do local para ficar mais próximo aos tubarões, com aparato e acompanhamento de algum dos biólogos marinhos que compõem a equipe do AquaRio.

A equipe prefere chamar a atividade de flutuação, já que é realizado somente na região da superfície no tanque de sete metros de profundidade com cerca de 3.000 animais. A atividade é realizada sob consulta e mediante agendamento prévio.

O ponto alto do passeio, no entanto, é o túnel que atravessa o maior tanque do AquaRio por dentro, que permite observar os animais de superfície, os nadadores do centro e os animais que preferem o fundo do mar. 

As visitas guiadas também são uma atração à parte: por meio delas, descobre-se, por exemplo, que um polvo tem inteligência equivalente à de uma criança de sete anos.

"Os tanques que têm polvo são forrados por dentro. Porque o polvo é um bicho extremamente esperto. Eles conseguem escalar e ir para fora do tanque", afirma a educadora e bióloga Carolina Mandarino.

Alguns se lembrarão do polvo Hank, do filme "Procurando Dory". Se o visitante estiver procurando pela peixinha azul ou por Nemo, vai encontrar: o cirurgião-patela e os peixes-palhaço, favoritos das crianças, são abundantes.


AquaRio

Onde: Praça  Muhammad Ali, Gamboa (em frente aos Armazéns 7 e 8 do Porto do Rio) Tel. (21) 2042-5312

Quando: Diariamente das 10h às 18h

Quanto: R$ 60 a R$ 120 por pessoa 

www.aquariomarinhodorio.com.br