Aquisição de Albacora é foco da PetroRio, que vê potencial no pré-sal do campo

Funcionário segura amostra de petróleo.

Por Letícia Fucuchima

SÃO PAULO (Reuters) - A PetroRio continua negociando a compra do campo Albacora com a Petrobras e tenta chegar a um "denominador comum" sobre os preços do ativo, que é vizinho ao recém-adquirido campo Albacora Leste, disse à Reuters o CEO da companhia, Roberto Monteiro.

Segundo o executivo, as conversas sobre Albacora estão demorando mais porque os testes de longa duração que estão sendo realizados indicaram que os reservatórios localizados no pré-sal do campo são maiores do que o antecipado.

Com isso, a Petrobras pediu para que a PetroRio revisasse sua proposta econômica, disse Monteiro.

"Esse é o principal ponto, do ponto de vista contratual hoje tem poucas coisas pendentes, mas tem a questão de valor, que ainda não chegamos lá, ainda estamos conversando com Petrobras e tentando chegar a um denominador comum", afirmou.

Ele disse que não há como prever um prazo para a conclusão do processo.

Ainda segundo Monteiro, outras aquisições podem voltar à pauta da companhia no futuro, mas o foco agora está no ativo de Albacora.

A Petrobras anunciou na quarta-feira que fechou acordo com a PetroRio para venda do campo Albacora Leste, localizado na Bacia de Campos, pelo valor de 2,2 bilhões de dólares.

O valor total do negócio de Albacora Leste inclui 292,7 milhões de dólares a serem pagos na data de celebração do contrato, 1,66 bilhão de dólares no fechamento da transação e até 250 milhões de dólares em pagamentos contingentes, a depender das cotações futuras do petróleo Brent.

Monteiro afirma que o pagamento contingente é uma ferramenta oportuna nas negociações para compra de ativos em meio ao cenário desafiador do preço do petróleo, que disparou nos últimos meses com a guerra na Ucrânia.

"Esse tipo de mecanismo ajuda a atenuar essa diferença muito grande que fica entre comprador e vendedor... Isso estamos usando no Albacora (em negociação)".

A aquisição de Albacora Leste será financiada, em sua maior parte, com o caixa da companhia, que é de 1,4 bilhão de dólares. Pelos termos fechados com a Petrobras, a companhia ficará com 90% do campo, enquanto a Repsol Sinopec Brasil terá os outros 10% de participação.

Com o novo ativo, a PetroRio afirma que praticamente dobrará de tamanho, tanto em produção, quanto em receita e Ebitda. O campo agregará mais 27 mil barris por dia à produção atual da companhia, que é de 34 mil barris por dia.

Segundo Monteiro, com Albacora Leste e outros investimentos em andamento, a PetroRio fica bem próxima de seu objetivo de alcançar 100 mil barris por dia no futuro.

(Por Letícia Fucuchima)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos