Arábia Saudita não espera 'mudança substancial' na relação com os EUA de Biden

·1 minuto de leitura
Ministro saudita das Relações Exteriores Adel al-Jubeir no painel “G20 para reconectar o mundo”
Ministro saudita das Relações Exteriores Adel al-Jubeir no painel “G20 para reconectar o mundo”

A Arábia Saudita não espera uma "mudança substancial" em sua relação com os Estados Unidos após a posse do presidente eleito Joe Biden, porque afirma que a "amizade" continuará apesar das críticas do democrata ao reino, disse um alto funcionário saudita.

"Trabalhamos com o presidente dos Estados Unidos como com um amigo, seja republicano ou democrata", declarou Adel Al-Jubeir, ministro de Estado saudita das Relações Exteriores, em uma entrevista divulgada neste fim de semana na rede CNN.

"O presidente eleito Biden está no Senado [americano] há 35 anos, tem uma grande experiência. Não espero que tenha uma mudança substancial em termos de política exterior americana", acrescentou, insistindo nos "enormes interesses" em jogo.

"Trabalhamos juntos na segurança econômica mundial, na segurança energética, nas questões financeiras e somos essenciais no que diz respeito ao mundo muçulmano", declarou.

Joe Biden prometeu durante sua campanha para a presidência dos EUA tornar a Arábia Saudita um "pária" devido às graves violações dos direitos humanos no reino, primeiro exportador mundial de petróleo e aliado próximo dos Estados Unidos, especialmente sob o governo do republicano Donald Trump.

A Arábia Saudita realiza neste fim de semana por vídeoconferência a cúpula de líderes do G20, em um contexto de críticas das ONGs que pedem aos apoiadores internacionais do reino para reagir diante de sua implacável repressão de vozes dissidentes.

bur-ac/sls/aem/elm/bc/zm/aa