Arábia Saudita reimpõe distância física em Meca por surto de covid

·1 min de leitura
Em 17 de outubro de 2021, a Grande Mesquita na cidade saudita sagrada de Meca operava em sua plena capacidade (AFP/-)

A Arábia Saudita voltou a impor, nesta quinta-feira (30), medidas de distanciamento físico na Grande Mesquita de Meca, a principal cidade sagrada do Islã e local de peregrinação, devido a um aumento no número de casos de coronavírus no reino.

Essa medida havia sido suspensa em outubro, diante da queda no número de infecções de covid-19. Desde o início de dezembro, porém, o número de casos se multiplicou por mais de 20, com 744 novos casos nas últimas 24 horas.

"A decisão de aplicar de novo o distanciamento físico na quinta-feira (...) decorre da preocupação com proteger a saúde dos fiéis", disse a agência oficial de notícias SPA.

Ao redor da Kaaba, a estrutura cúbica coberta de preto, para a qual muçulmanos de todo mundo dirigem suas orações, foram instalados sinais para ajudar a manter a separação entre os fiéis.

Até o surgimento do coronavírus, em dezembro de 2019, Meca recebia milhões de peregrinos. Em meio à pandemia, foram aplicadas restrições para limitar o acesso à Grande Mesquita. Estas medidas foram sendo relaxadas, progressivamente, nos últimos meses, para os já vacinados.

Em condições "normais", os peregrinos proporcionavam uma receita de cerca de US$ 12 bilhões anuais para a Arábia Saudita.

A nova onda de coronavírus também afeta outros países do Golfo e levou o Catar a suspender as folgas dos profissionais de saúde em hospitais públicos.

Apesar de apresentarem uma das melhores taxas de vacinação do mundo, os Emirados Árabes Unidos registram um número de casos diárias 30 vezes maior do que no início do mês.

ht-mah/dm/aem/feb/dbh/me/tt

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos