Aras aciona ministro da Justiça para evitar crise em MT com caminhoneiros

BRASÍLIA, DF,  BRASIL,  25-08-2022 - O procurador-geral da República, Augusto Aras (Foto: Gabriela Bilo /Folhapress)
Registro do procurador-geral da República, Augusto Aras (Foto: Gabriela Bilo /Folhapress)

O procurador-geral da República, Augusto Aras, acionou o ministro da Justiça, Anderson Torres, para evitar uma crise em Mato Grosso em função dos bloqueios dos caminhoneiros.

Aras foi informado pela Procuradoria da República no estado que a situação beira o caos. No momento, relataram, 200 caminhões estão se deslocando de Sorriso para Cuiabá, a 60 km/h, com o intuito de dificultar a circulação na capital.

Uma ponte próxima ao município de Guarantã do Norte foi obstruída, impedindo o acesso a outras cidades da região.

Em Comodoro, Lucas do Rio Verde e Sinop, os bloqueios que foram desmobilizados estão se reagrupando em outros pontos.

Um dos pedidos de Aras a Anderson Torres foi reforçar o efetivo da Polícia Rodoviária Federal. Em uma região que compreende sete municípios há 54 policiais, mas somente quatro viaturas. Com isso, somente 14 tem condições de atuar nas rodovias de Nova Mutum, Lucas do Rio Verde, Sorriso, Sinop, Nova Santa Helena, Peixoto de Azevedo e Guarantã do Norte.

Na sexta-feira (4), o ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), determinou que a PRF informe em prazo de 48 horas o número de policiais nas estradas desde o dia 28 de outubro, antevéspera do segundo turno das eleições.

A ordem foi dada nos autos de uma ação movida pela Confederação Nacional do Transporte, a mesma que motivou, na noite da segunda (31), a decisão do ministro para que a PRF agisse de forma efetiva no enfrentamento aos protestos golpistas nas rodovias do país.