Aras afirma que vai cumprir as leis em sua análise do relatório da CPI

·1 minuto de leitura

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Em sabatina no Senado, o procurador-geral da República, Augusto Aras, evitou se pronunciar sobre os trabalhos da CPI da Covid e disse que apenas vai se posicionar ao receber o relatório final. Acrescentou também que sua manifestação será estritamente dentro do ordenamento jurídico e que a análise será feita cumprindo o previsto na Constituição e na legislação.

"Eu ratifico o meu compromisso com essa casa de bem cumprir a Constituição e as leis do meu país e assim farei ao receber o relatório da CPI da Covid", afirmou.

"Só é possível ao procurador-geral da República e ao julgador se manifestar em respeito às leis", completou.

O procurador-geral garantiu que vai se manifestar dentro do intervalo de 30 dias após o recebimento do relatório. Afirma que isso será possível, pois os depoimentos e outras movimentações da comissão já estão sendo acompanhadas pelo Gabinete Integrado de Acompanhamento da Covid-19, da PGR.

"Tenho certeza de que o procurador-geral da República, qualquer que seja à época [do recebimento do relatório], terá uma equipe estudando todos os elementos que foram colhidos. E assim será muito mais fácil analisar em 30 dias as milhares e milhares de páginas que já compõem a CPI", afirmou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos