Arce da Bolívia espera reatar relações com o Brasil com a posse de Lula

Lula e Arce se reúnem no Itamaraty

LA PAZ (Reuters) - O presidente da Bolívia, Luis Arce, disse na segunda-feira que espera que o novo presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, ajude a melhorar as relações diplomáticas e explique questões que geraram polêmica durante o mandato do ex-presidente Jair Bolsonaro.

Falando na televisão na noite de segunda-feira, Arce disse esperar que Lula, que assumiu o cargo pela terceira vez no domingo, ajude a explicar os contratos de gás entre os países que os políticos bolivianos chamaram de prejudiciais, bem como o "comportamento" de Bolsonaro durante uma crise política na Bolívia em 2019.

"São muitas coisas que precisam de uma explicação da pare do governo brasileiro", disse Arce à emissora Telesur.

"Com essa nova relação (com Lula), esperamos que toda essa informação que se está investigadas na Bolívia possa fluir do Brasil", afirmou.

Arce apontou para o suposto apoio de Bolsonaro, de extrema-direita, à renúncia do ex-presidente de esquerda Evo Morales em 2019. Os partidários de Morales classificaram o evento de golpe de Estado, e a Bolívia agora enfrenta protestos após a prisão de um governador da oposição em conexão com o incidente.

Quando Morales deixou o governo, Bolsonaro tuitou "grande dia".

Como Lula, Morales fazia parte de uma onda de governantes de esquerda que dominaram a política latino-americana no início do século.

Em relação aos contratos de gás natural, o governo Arce disse em maio que a Bolívia estava buscando preços mais altos para o gás natural vendido para a Petrobras, reclamando que os contratos atuais com a estatal brasileira geraram grandes perdas.

Lula assumiu a Presidência prometendo reparar as relações diplomáticas.

(Reportagem de Daniel Ramo)