Areia de Copacabana vira pista de baile no segundo dia da retomada de eventos ao ar livre com shows de Xamã, Luisa Sonza e Majur

Os grandes shows voltaram com força à Praia de Copacabana, nesse fim de semana, após dois anos de distanciamento social. Xamã, Luisa Sonza e Majur, a Festa Zé do Roque e o Baile do Saddam foram as atrações deste domingo, no palco montado no Posto 4, na segunda noite do festival Tim Music Rio. Mais pessoas entraram no clima pé de areia e caipirinha do que no show da véspera, com Seu Jorge, mas a animação era a mesma, na retomada dos megaeventos gratuitos, ao ar livre.

— É muito bom demais poder voltar a fazer shows como esse, de graça e ao ar livre. A gente teve essa lacuna de dois anos da pandemia e agora poder tocar em casa, ter esse reencontro com o público, é a coisa mais incrível. Me surpreendi com esse público todo, não esperava que viesse tanta gente. As meninas, Luisa e Majur, brilharam e só agregaram ao nosso trabalho — declarou o Xamã que coleciona diversos hits, entre eles o sucesso "Malvadão". No repertório, o cantor incluiu também clássicos de músicos como Tim Maia, que cantou com suas convidadas.

Segundo os organizadores, no sábado, 45 mil pessoas participaram da estreia do festival e, no domingo, 50 mil foram à praia. A maioria era de jovens atraídos pelo clima de baile da noite. As programações começaram às 17h, para também terminar cedo, evitando transtornos, como acertado entre associações de moradores, prefeitura e produção do festival.

— Faz muito tempo que a gente não se encontrava desse jeito. Reunir todas essas pessoas em Copacabana, em um evento gratuito, com organização, estrutura e segurança, é gratificante. Entregar um festival do mais alto nível me enche de alegria. Você vê o sorriso do público. Um projeto que tem quase mil pessoas trabalhando para levar sorrisos a todo mundo. É de coração, e a expectativa das mais altas possíveis. Vamos curtir! Agora, abrimos a porteira. A gente quer que venham. A comunicação do festival está cada vez mais aquecida. Então, a tendência é que mais gente venha no outro fim de semana. E que todos cheguem em paz, tranquilos, se divirtam, aproveitem, entendam que é gratuito e é bom. É de graça, mas é organizado e estruturado. É de coração — disse Rafaello Ramundo, CEO da produtora Novo Traço e idealizador do festival.

Moradora de Copacabana, a estudante Cíntia Raquel, de 19 anos, se espremeu nas grades da primeira fila para ver seus ídolos de perto.

— Poder curtir esses shows de graça, perto de casa, está sendo incrível. Estou amando. Precisava disso para ser feliz.

Mas não foi só a garotada que curtiu o clima de baile na Praia de Copacabana. Assim como no primeiro dia, pessoas de todas as idades e famílias marcaram presença.

— Não tem idade para a gente se divertir. Curto todos os tipos de música e estou adorando esses shows de hoje — declarou a aposentada Rosa Silveira, de 67 anos, enquanto dançava animada na areia com amigos.

Criolo, Liniker e a Festa Segue o Baile estarão no mesmo palco, no próximo sábado. Iza e a Festa Lei Natural dos Encontros encerrarão o Tim Music Rio, no domingo, também em clima de bailão.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos