Argentina adia para 2024 pagamento de US$ 2,45 bi a Clube de Paris

A Argentina firmou um acordo com o Clube de Paris para o adiamento do pagamento de US$ 2,45 bi até o fim de setembro de 2024 ou até que uma nova negociação seja feita, informou o governo argentino em publicação no diário oficial nesta terça-feira.

Após anos de grave crise econômica, o país teria que pagar US$ 2,45 bilhões ao Clube de Paris no fim de maio do ano passado, mas o pagamento foi adiado após um acordo entre as partes.

"Está previsto o diferimento dos pagamentos das dívidas contraídas em virtude dos 'Acordos Bilaterais' assinados com os países do Clube de Paris, até à existência de um novo acordo", disse o governo no diário oficial.

A Argentina já reestruturou sua dívida com credores privados em 2020 e chegou a um acordo de Extended Facilities com o Fundo Monetário Internacional (FMI) em março passado. Agora o país avança no fechamento do processo de renegociação com o Clube de Paris.

"Uma vez alcançado o Extended Facilities Agreement com o FMI para o cancelamento do Stand By 2018, o PEN (Governo) continuou a realizar negociações com os credores agrupados no Clube de Paris, em busca da sustentabilidade da dívida pública. Argentina , compatível com a recuperação da economia produtiva e a melhoria dos indicadores sociais básicos", disse o Ministério da Economia em comunicado.

Serão buscadas novas condições de taxas de juros, prazos e incorporação dos US$ 430 milhões em dois pagamentos feitos em julho de 2021 e fevereiro de 2022.

O Clube de Paris inclui entre seus membros Estados Unidos, Alemanha, Brasil e Japão, também membros do FMI.

A agência oficial Télam havia anunciado na noite de segunda-feira um decreto "iminente" com a medida, confirmado à Reuters por uma fonte oficial.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos