Argentina e China avançam em acordo para construir usinas nucleares

(Arquivo) Fumaça é vista em usina nuclear, em Pequim, no dia 26 de fevereiro de 2008 (AFP/Arquivos)

Os governos da Argentina e da China avançaram nesta quarta-feira em Buenos Aires nos acordos para a construção de duas centrais nucleares, informou o ministério de Economia argentino em comunicado.

Representantes dos dois governos assinaram o acordo comercial e a formação de um consórcio para a construção da quarta central nuclear argentina e o acordo-quadro para uma quinta central.

A quarta central será construída em Lima, província de Buenos Aires, com reator de urânio natural e com uma potência de 750 megawatts, segundo o projeto.

O consórcio encarregado está constituído pela empresa argentina Nucleoeléctrica Argentina (NASA) e a China National Nuclear Corporation (CNNC) e, segundo o contrato, a central contará com 62% de componentes de origem argentina e 38% chinesa.

Os chineses financiarão 85% das obras.

Também foi assinado um acordo-quadro para impulsionar a construção de uma quinta central nuclear com tecnologia chinesa de urânio enriquecido de 1.000 megawatts.

Os acordos fazem parte dos convênios assinados entre a presidente Cristina Kirchner e Xi jinping em Buenos Aires em julho de 2014.