Argentina detém suspeita de envolvimento em ataque à vice-presidente Cristina Kirchner, diz mídia

Cristina Kirchner em Buenos Aires

BUENOS AIRES (Reuters) - A Justiça argentina determinou a prisão de uma mulher suspeita de participar da organização do ataque fracassado com arma de fogo que a vice-presidente Cristina Fernández de Kirchner sofreu há quase duas semanas, informou a mídia local nesta terça-feira.

A prisão ocorreu após informações sobre a nova suspeita no celular da suposta parceira do agressor, Fernando Sabag Montiel, que na noite de 1º de setembro disparou sua arma duas vezes a centímetros da cabeça de Cristina sem que a bala saísse, segundo Clarín e La Nación, entre outros veículos de comunicação.

A nova detida - a terceira no caso - faria parte de uma pequena e informal organização que planejou o ataque contra Cristina, a poderosa vice-presidente peronista que também governou o país entre 2007 e 2015.

A Justiça também teria decidido aumentar a segurança de Cristina e sua família após supostas ameaças de morte por telefone que teriam ocorrido nos últimos dias.

(Reportagem de Nicolás Misculin)