Argentina não modificará acordo de dívida de US$45 bi com FMI, diz ministro da Economia

·1 min de leitura
Ministro da Economia da Argentina participa de conferência em Buenos Aires

BUENOS AIRES (Reuters) - O ministro da Economia da Argentina, Martin Guzmán, disse na sexta-feira que um acordo de dívida de 45 bilhões de dólares com o Fundo Monetário Internacional (FMI) não será alterado, após uma reunião com a chefe do FMI, Kristalina Georgieva.

"Não vamos mudar os objetivos do programa com o FMI", disse Guzmán à mídia local.

O governo peronista de centro-esquerda do país sul-americano, liderado pelo presidente Alberto Fernández, fechou um acordo com o credor internacional no início de março para evitar um calote.

O acordo estabelece um novo cronograma de financiamento ao longo de um período de 30 meses para substituir um programa fracassado de 57 bilhões de dólares, de 2018, que o país produtor de grãos não conseguiu pagar após anos de recessão, inflação em espiral e fuga de capitais.

No entanto, Guzmán alertou, sem dar detalhes, que haverá uma mudança de ênfase para focar a rede de segurança social devido às consequências da invasão russa da Ucrânia, que tem alimentado a inflação mundial.

(Por Maximilian Heath)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos