Argentina prende casal que adotou e depois abandonou irmãos da Guiné-Bissau

GUARULHOS, SP (FOLHAPRESS) - A Polícia Federal da Argentina prendeu nesta segunda-feira (31) um casal acusado de abandonar em novembro de 2020 dois irmãos da Guiné-Bissau, país da costa oeste da África, que haviam adotado. Natacha Perrig e Eduardo Rucci foram encontrados em uma área nobre nos arredores de San Martín de Los Andes.

De acordo com informações do jornal La Nación, o casal de argentinos adotou os irmãos em agosto de 2019, após viajar à nação lusófona. A mãe biológica dos dois, que nasceram em 2014, teria morrido, e eles viviam em um orfanato na capital Bissau, onde os futuros pais adotivos ficaram por uma semana para conhecê-los.

O direito argentino não permite que estrangeiros adotem crianças e adolescentes do país, mas admite adoções internacionais como a do caso, em que argentinos adotam crianças de outras nações.

A denúncia à qual o La Nación teve acesso detalha que, em 2020, o pai adotivo das crianças, Eduardo Rucci, levou os dois meninos até a Delegacia da Mulher da cidade de Bahía Blanca, onde viviam na ocasião, e os abandonou. "Desrespeitando totalmente as obrigações paternas de cuidar, conviver, alimentar e educar", diz a denúncia.

Aos policiais Rucci teria alegado que abandonaria as crianças por razões de âmbito pessoal que dificultariam os laços familiares e o sustento da família que, além dos irmãos da Guiné-Bissau, tem também uma filha biológicau. Àquela altura, os meninos ainda não tinham DNI (documento nacional de identidade, similar ao RG).

Poucos meses antes de abandonar as crianças, a família publicava no Facebook fotos deles com mensagens de carinho, segundo o apurou o portal Infobae. Uma delas, acompanhada de uma foto dos meninos, dizia: "Escolhemos começar uma nova vida com dois filhos do coração se juntando a nossa família!"

A despeito da justificativa financeira para deixar as crianças, o casal agora foi detido em uma área nobre, no Country Club Noregon, um bairro privado onde constroem sua nova casa, informou o La Nación. Os dois estariam trabalhando --Natacha em uma construtora, e Eduardo na construção de containers.