Argentina registra 5ª morte por bactéria que causa pneumonia

As mortes por pneumonia causada pela bactéria legionella aumentaram para cinco neste domingo (4), na cidade argentina de Tucumã, onde 11 pessoas se infectaram em uma clínica de saúde particular, informou o Ministério da Saúde da província homônima.

"Trata-se de um homem de 64 anos de idade, com comorbilidades, que estava internado em estado grave, no setor público", declararam as autoridades provinciais em comunicado.

O laboratório público de doenças infecciosas do Instituto Malbrán identificou a legionella como "o agente etiológico causador do surto de pneumonia bilateral [que atinge os dois pulmões]", revelou ontem a ministra da Saúde da Argentina, Carla Vizzotti.

Três dos pacientes restantes permanecem internados, enquanto outros três estão "em acompanhamento domiciliar", declarou Luis Medina Cruz, titular da pasta de Saúde da província situada 1.300 quilômetros ao norte de Buenos Aires.

"Estamos tipificando o tipo específico da bactéria, mas é possível que seja [legionella] pneumophila", disse Vizzotti. Dos 11 infectados no surto notificado em 18 de agosto, oito eram profissionais de saúde da clínica.

A legionella provoca a doença do legionário, um tipo de pneumonia rara muito grave que causa febre e infecção pulmonar aguda.

A bactéria se transmite por via inalatória através da água ou do ar-condicionado.

O agente etiológico é encontrado em ambientes de água doce, como rios e lagos. Também pode se propagar através das tubulações de água e dutos de ar.

Desde um primeiro momento, a Covid, a gripe, a influenza e o hantavírus foram descartados como causas do surto.

dm/gm/rpr