Argentina suspende voos de Brasil, Chile, México e Reino Unido para evitar 2ª onda de Covid

SYLVIA COLOMBO
·2 minuto de leitura

BUENOS AIRES, ARGENTINA (FOLHAPRESS) - O governo da Argentina anunciou na noite desta quinta-feira (25) que os voos de e para Brasil, Chile e México estarão suspensos a partir de sábado (27) --conexões com o Reino Unido seguem interrompidas. A restrição tem como objetivo desencorajar viagens ao exterior e tentar prevenir uma segunda onda da Covid-19 no país. Como o turismo estrangeiro já estava suspenso no país, o impacto será sentido por moradores do país que estavam com viagens marcadas para o exterior ou que estejam fora da Argentina no momento --segundo o jornal Clarín, há cerca de 27 mil argentinos no exterior. A medida endurece ainda mais o controle para aqueles que voltam do exterior. Além de apresentar um teste PCR ao embarcar, será preciso realizar outro ao chegar no país e mais um terceiro, após uma quarentena de dez dias em casa. Os exames terão de ser pagos pelos viajantes. Caso o resultado seja positivo, será necessário um isolamento de 14 dias num estabelecimento escolhido pelo Estado, com estadia paga também pelo viajante. O decreto que estabelece as medidas recomenda ainda que os argentinos e os moradores do país não viajem ao exterior, devido à situação sanitária da região. A entrada de brasileiros chegou a ser banida em dezembro pelo país, que manterá suas fronteiras terrestres fechadas. Desde meados de fevereiro, a Argentina vem apresentando uma alta na média móvel de casos. Nesta quarta (24), o número registrado foi de 163 infecções por milhão de habitantes, segundo o Our World in Data. Alvos das suspensões, o Brasil e o Chile são os países que apresentam os números mais altos, acompanhados de uma curva íngreme no aumento das infecções --na média móvel, foram 354 e 326 casos por milhão de habitantes nesta quarta, respectivamente. Reino Unido e México, por sua vez, registram 81 e 37 na média móvel de novos casos. Já no registro de mortes, o quadro é diferente. O Brasil é o único que apresenta uma forte subida, com média móvel de 11 mortes por milhão de habitantes nesta quarta. Chile (4) e México (4) começaram a apresentar ligeira alta, enquanto Reino Unido (1) vem em queda, e Argentina (2) parece seguir a mesma tendência.