Argentina terá quarentena total a partir desta meia-noite

SYLVIA COLOMBO

BUENOS AIRES, ARGENTINA (FOLHAPRESS) - Depois de reunir-se por toda a tarde com governadores, ministros e representantes da oposição na residência oficial de Olivos, o presidente argentino, Alberto Fernández, decretou quarentena total no país, a partir das 0h desta sexta-feira (18) pelo menos até dia 31 de março.

A quarentena será vigiada por soldados do Exército e policiais. Só serão permitidos o trânsito de pessoas que justifiquem estarem indo comprar alimentos e remédios ou buscar dinheiro em caixas automáticos próximos a suas residências. Também será possível ir a médicos e hospitais para atendimento.

A única outra exceção para uma saída de casa será a de auxiliar um parente doente. As demais terão de contar com autorização das autoridades sanitárias.

Quaisquer movimentações na rua, de carro ou a pé, que saiam destas determinações podem ser punidas com penas de prisão de 1 a 15 anos, por atentado à saúde pública.

Os bancos estarão fechados, e as operações poderão ser feitas pela internet ou por meio dos caixas eletrônicos. Todo o comércio que não esteja relacionado a venda de alimentos e remédios será fechado, incluindo bares, restaurantes, cinemas e teatros.

A Argentina está tomando esta decisão 16 dias depois da confirmação do primeiro caso. Ou seja, duas semanas antes de a Europa ter tomado (a Itália demorou 30 dias, por exemplo). Com isso, espera-se conter a onda de contágios.

Atualmente, há 79 casos de infectados e três mortes confirmadas.