Arlete Salles fala sobre doença crônica e conta como lida com a dor: ‘Sofro de covardia física’

Arlete Salles gravou a série documental “Dor”, que estreia este mês no Globoplay. Com roteiro de Mayra Almeida e Helena Perim, a produção traz depoimentos de homens e mulheres sobre como é conviver e lutar com os diversos obstáculos impostos por dores intensas e crônicas. A atriz falou sobre a herpes-zóster:

— Eu costumo dizer que sofro de covardia física. Tenho pavor de dores, agulhas, cortes e furos. A herpes-zóster começou assim: a orelha passou a doer. Eu achava aquilo estranho e fiquei constrangida de conversar com meu médico

Mãe de gêmeos: Isabella Scherer fala de dificuldade para retomar vida sexual

E mais: Juliette mostra hematomas após fim de semana com família e amigos

Ela também lembra um episódio em que entrou em desespero:

— Estava dirigindo e senti uma coisa estranha. Quando olhei no espelho, minha boca estava quase na orelha. Eu me desesperei num grau porque achei que estava tendo um AVC (...) Levei um susto enorme e só pensava no meu trabalho. Minha carreira agora acabou! Não vou mais conseguir trabalhar com essa boca torta. Foi desesperador. Eu fiquei boa, mas penei, sofri. Para quem diz que sofre de covardia física, precisei de muita coragem.

A série é uma coprodução da Vbrand e da Cine Group.