'Armários Abertos': Jornalista Valmir Moratelli lança livro com depoimentos sobre diversidade sexual

Ana Luísa Pontes
·4 minuto de leitura
O escritor e roteirista Valmir Moratelli (Divulgação)
O escritor e roteirista Valmir Moratelli (Divulgação)

O debate sobre racismo na edição do 'Big Brother Brasil 21' da última terça-feira (6) mostrou a importância do respeito à diversidade e da luta contra a discriminação. Com esse espírito, o jornalista e roteirista Valmir Moratelli lança nesta quinta-feira (8), às 19h, em uma live no instagram, o livro “Armários Abertos – depoimentos sobre a diversidade sexual”. A obra reúne histórias reais sobre a descoberta da sexualidade de pessoas da comunidade LGBTQIAPN+ (gays, lésbicas, bissexuais, transgênero, queer, intersexo, assexuais, pansexuais, polissexuais, não-binários e mais). 

Segundo o autor, a proposta do livro é promover a discussão sobre as diferentes formas de preconceito que atravessam as questões ligadas à sexualidade. Para Valmir, que também é pesquisador, as pautas relacionadas ao assunto vêm sofrendo grandes retrocessos nos últimos anos, mesmo após algumas décadas de avanços tímidos.

Leia também

— São histórias que fazem a gente pensar o quanto as pessoas julgam umas às outras sem conhecer por dentro as suas dores. É um livro que propõe o diálogo pra tentar, de alguma forma, diminuir o preconceito, homofobia e transfobia que dominam o país ainda hoje. É importante que a gente discuta a diversidade no que ela realmente significa, nessa amplitude e generalização dentro de especificações — afirma ele.

Os depoimentos compartilhados na obra narram os desafios enfrentados pelos entrevistados no processo de autoaceitação dentro das diversas camadas da diversidade sexual humana. Para o jornalista, o Brasil tem uma estrutura social baseada na heteronormatividade e patriarcalismo, influenciada diretamente por dogmas religiosos, por isso há necessidade de dar voz às pessoas para que elas falem abertamente sobre sua sexualidade, já que esse debate é tratado como um tabu.

— A pergunta inicial que eu fazia para todos era a mesma: quando, como e pra quem foi a primeira vez que você saiu do armário? Eu percebi ali diferentes reações. Tinha pessoas que riam, pessoas que choravam, pessoas que pediam tempo para respirar e falar abertamente sobre esse momento tão íntimo e tão importante para a autoestima delas e pra questão da identidade também — explica.

 

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Entre as histórias apresentadas, está a de Júlia Menezes, uma mulher trans que contou sobre as dificuldades enfrentadas no processo de transição de gênero. Ela nasceu homem, mas após a mudança de sexo precisou lidar com questões que anteriormente não faziam parte do seu cotidiano, como o medo da violência contra as mulheres.

— Há uma insegurança muito maior sobre o corpo feminino. O olhar sobre o corpo feminino é um olhar muito invasivo e ela começou a perceber isso depois que fez a transição. A partir do momento que ela começa a se vestir de outra maneira e se colocar como mulher, isso muda — esclarece Valmir.

Moratelli conta que a ideia inicial era produzir um documentário com os depoimentos, mas a chegada da pandemia da COVID-19 forçou uma mudança de planos. Sua equipe já tinha concluído 80% das filmagens, quando percebeu que não seria possível concluir o projeto devido às medidas de isolamento social, optando assim pela criação do livro. No entanto, ele declara que foi procurado por uma plataforma de streaming e a obra deve ganhar novo fôlego.

 — O livro acabou causando esse interesse em uma empresa, então é bem provável que a gente tenha também o projeto no audiovisual depois da pandemia. Eu vejo com bons olhos o interesse das empresas de comunicação, da televisão como um todo, começando a se interessar por esse tema. A gente tem séries hoje em dia que mostram casais gays, lésbicas e com outras denominações que a televisão aberta ainda não mostra. Então a temática sexual indo para o streaming é muito importante — comenta.

O lançamento da obra “Armários Abertos – depoimentos sobre a diversidade sexual” pode ser acompanhado ao vivo no perfil pessoal de Valmir no Instagram (@vmoratelli). Interessados em adquirir o livro devem entrar em contato diretamente com o autor.

Valmir Moratelli é autor de outros três livros: “O que as telenovelas exibem enquanto o mundo se transforma” (2019), “Diálogos para santos cegos – Contos na era fake news”' (2018) e “Eu Rio, Tu Urcas, Ele Sepetiba” (2015). O jornalista também dirigiu o filme “30 Dias – um carnaval entre a alegria e a desilusão”, hors concours no Festival do Rio 2019.