Armênia diz que reconhecimento do genocídio é uma questão de segurança

·1 minuto de leitura

MOSCOU (Reuters) - O primeiro-ministro da Armênia, Nikol Pashinyan, disse ao presidente norte-americano Joe Biden, em uma carta neste sábado que o reconhecimento do genocídio é uma questão de segurança para a Arêmnia, especialmente após os eventos do ano passado na região, com a guerra em Nagorno-Karabakh.

Biden disse no sábado que os massacres de 1915 e as deportações forçadas dos armênios durante o Império Otomano constituem genocídio.

“Armênios no mundo inteiro ficaram entusiasmados e aprovam o reconhecimento do genocídio”, disse Pashinyan, em uma carta a Biden publicada em seu site.

(Reportagem de Maria Tsvetkova)