Armênia inicia luto pelas vítimas do conflito em Nagorno Karabakh

·1 minuto de leitura
As bandeiras de Nagorno Karabakh, à esquerda, e Armênia, à direita, durante uma manifestação em 5 de dezembro de 2020 em Yerevan

A Armênia iniciou neste sábado (19) três dias de luto em memória das vítimas do conflito com o Azerbaijão em Nagorno Karabakh, um confronto que debilitou a situação do primeiro-ministro Nikol Pashinyan.

"Toda a nação viveu e vive um pesadelo", disse Pashinyan em um discurso em vídeo, antes de liderar um cortejo para um memorial onde as vítimas serão enterradas, em Yrevan.

"Às vezes parece que todos os nossos sonhos foram quebrados e nosso otimismo destruído", afirmou o líder, muito criticado pela oposição que pede sua renúncia.

Neste sábado, a oposição organizou uma manifestação alternativa ao cortejo institucional.

Pashinyan chegou ao poder por meio de uma revolução pacífica em 2018, que viu nele a possível substituição das corruptas elites pós-soviéticas. Mas após a derrota das forças armênias contra o exército azerbaijano em Nagorno Karabaj, ele está sendo muito criticado.

Mais de 5.000 pessoas, incluindo civis, morreram nos dois países ex-soviéticos nos confrontos que começaram no final de setembro neste enclave, de maioria armênia, no Azerbaijão.

Em 9 de novembro foi firmado um acordo de paz, humilhante para a Armênia, que consagra a vitória do Azerbaijão em territórios importantes.

Desde então, a oposição se manifesta quase diariamente para exigir a renúncia do primeiro-ministro, e convocou uma greve geral a partir de 22 de dezembro.

mkh-as/spm/cac/pz/es/mis/aa