Arma e bíblia: vídeo de Claudia Leitte é apoio ao Bolsonaro? Entenda

Claudia Leitte no
Claudia Leitte no "Altas Horas". Foto: Reprodução/Globo

Resumo da notícia:

  • Claudia Leitte volta a ser associada ao bolsonarismo em nova polêmica

  • Cantora está sendo criticada após vídeo com abajur de arma e bíblia

  • Entenda por que a artista é associada ao posicionamento a favor de Bolsonaro

Claudia Leitte voltou a ser alvo de polêmica na noite desta terça-feira (13) por uma publicação controversa. Isso porque ela compartilhou um vídeo que exibe um abajur de arma, em cima de uma bíblia e uma foto de sua família. Embora tenha apagado pouco tempo depois, a cantora foi criticada nas redes sociais por suposto apoio ao Bolsonaro, uma figura política que defende o porte de arma e traz em sua campanha a defesa da religião cristã e "da família".

"Claudia Leitte tem um abajur de arma dourada em cima de uma bíblia. Posta um story mostrando essa breguice ao lado da foto de casamento. Leva hate e diz que nem pensou que levariam para o lado político. Além de brega é alienada? Além de brega é sonsa? Fica aí o questionamento", diz um dos comentários no Twitter com mais curtidas.

Nas redes sociais, Claudia se pronunciou sobre a filmagem após a repercussão do caso. "Gente, os stories que postei não têm qualquer intenção política. O abajur que aparece no vídeo é uma peça de arte criada por um designer francês, que ganhei de presente há mais de 10 anos", iniciou Claudia em seu perrfil.

"Fez sentido para mim, pois havia acabado de ler: 'Usamos as armas poderosas de Deus, e não as armas do mundo'. E, para mim, não significava nada além disso. Marquei o meu amigo que me deu o livro que mostrei no vídeo como sinal de gratidão. Nada além disso. Não passou pela minha cabeça nenhuma dessas afirmações que chegaram até mim", completou.

Confira explicação da artista. (Foto: Reprodução/Instagram @claudialeitte)
Confira explicação da artista. (Foto: Reprodução/Instagram @claudialeitte)

E por que a associação de Claudia Leitte ao Bolsonaro?

Em tempos de divergência política no Brasil, desde a eleição de Jair Bolsonaro para presidência da República, Claudia Leitte segue no time de artistas que optam por não se posicionar politicamente e prefere se omitir quando o assunto é assumir um lado.

Por conta disso, a cantora é frequentemente associada ao Bolsonaro por não declarar repúdio ao atual presidente, marcado por discursos preconceituosos e incitação à violência. Nos últimos anos, a artista foi alvo de críticas por algumas situações em que fugiu do posicionamento mesmo sendo questionada.

Confira logo abaixo algumas delas:

Omissão no "Altas Horas"

Um exemplo é sua participação no "Altas Horas", da TV Globo, em maio de 2021, no auge da pandemia. Quando Serginho Groisman perguntou para ela, Ana Maria Braga e Deborah Secco sobre qual a indignação de cada uma na época, Claudia se esquivou do tema enquanto as outras convidadas foram diretas nas respostas.

"A minha indignação? Eu tenho um coração pacificador, Serginho. Eu me indigno, sou capaz de virar tudo pelo avesso, de chutar as barracas. Mas eu acho que todo mundo tem um lugar onde pode brilhar uma luz para desfazer o que está acontecendo. E se essa luz se acende, obviamente não vai ter escuridão”, declarou a cantora.

No entanto, Deborah Secco não se intimidou com a pergunta. "O que me indigna mesmo é a gente normalizar as piores coisas e seguir adiante como se tudo bem, é isso mesmo. Não é isso mesmo! A gente não pode…Isso não pode continuar sendo assim. As coisas têm que mudar”, afirmou a atriz.

Já a apresentadora do "Mais Você" criticou a falta de vacinas contra a Covid-19 no Brasil como responsabilidade do governo. “Por exemplo, a falta de vacina que hoje o Brasil passa. Acho que a gente não pode achar isso normal. São coisas que você vê, por exemplo, essa semana mesmo, países na Europa que começaram a vacinação seriamente na população”, comentou Ana Maria.

Após a repercussão de sua falta de posicionamento na atração televisiva, Claudia Leitte se desculpou nas redes sociais ao reconhecer que não exerceu seu papel social como artista. "Nessa situação de pandemia doida, a gente conversava, era dentro desse contexto o assunto. Mais do que um desabafo, era um momento de ter consciência do meu papel social e eu não tive", declarou na época ao dizer que não sabe o que aconteceu com sua cabeça para fugir do assunto.

Show com multidão sem máscara

Em novembro de 2021, Claudia realizou um show para três mil pessoas no estacionamento do Espaço das Américas. A apresentação repercutiu pela aglomeração sem máscaras numa época em que grandes eventos ainda eram uma questão por conta do alto contágio apesar de liberados pelo governo.

Com a repercussão, a equipe da cantora afirmou que o evento foi realizado respeitando “todas as normas de saúde” determinadas pelo governo paulista. “Só era possível entrar no local comprovando a vacinação completa da covid-19 e, além disso, o evento foi feito com capacidade reduzida, com apenas 3 mil pessoas”, diz o comunicado.

Ainda foi declarado que ela é uma artista “responsável e ciente de seu papel" e que "jamais faria um evento sem a autorização dos órgãos atribuídos e sem os cuidados necessários". "Cabe apenas refletir sobre essas críticas seletivas e aos ataques, totalmente inconcebíveis e desrespeitosos com a artista”, completa a nota.

Silêncio em coro de "Fora, Bolsonaro"

Em apresentação no Ano Novo de Natal, no Rio Grande do Norte, Claudia Leitte foi surpreendida no dia 1º de janeiro de 2022 por um coro contra o presidente Jair Bolsonaro, mas ficou sem reação perante a manifestação.

Durante o show na Prainha, o público começou a gritar "fora Bolsonaro" e a artista ficou em silêncio sem se posicionar, o que novamente foi visto como uma omissão quando o assunto é ser contra o atual presidente.