Arrascaeta e Gabigol brilham e Flamengo vira sobre o Vélez na estreia da Libertadores

Diogo Dantas
·3 minuto de leitura
BUENOS AIRES, ARGENTINA - APRIL 20: Giorgian de Arrascaeta (R) of Flamengo celebrates with teammates Gabriel Barbosa and Bruno Henrique after scoring the third goal of his team during a match between Velez Sarsfield and Flamengo as part of Group G of Copa CONMEBOL Libertadores 2021 at Jose Amalfitani Stadium on April 20, 2021 in Buenos Aires, Argentina. (Photo by Juan Mabromata - Pool/Getty Images)
BUENOS AIRES, ARGENTINA - APRIL 20: Giorgian de Arrascaeta (R) of Flamengo celebrates with teammates Gabriel Barbosa and Bruno Henrique after scoring the third goal of his team during a match between Velez Sarsfield and Flamengo as part of Group G of Copa CONMEBOL Libertadores 2021 at Jose Amalfitani Stadium on April 20, 2021 in Buenos Aires, Argentina. (Photo by Juan Mabromata - Pool/Getty Images)

O Flamengo estreou na Libertadores 2021 com sofrimento, para manter as tradições. Mas apesar dos problemas defensivos, saiu vitorioso diante do Vélez em razão do talento de seus principais jogadores. 

>> Ouça o 'Segunda Bola', o podcast do Yahoo com Alexandre Praetzel e Jorge Nicola

Se coletivamente o trabalho não fluiu como o esperado nesta terça-feira, quando a bola passou nos pés de Gerson, Gabigol e Arrascaeta, a equipe rubro-negra saiu do sufoco.

Leia mais:

De virada, o Flamengo fez 3 a 2 no fim e largou na frente no grupo G da competição. Arão, Gabigol e Arrascaeta marcaram. Janson descontou para os argentinos.  

Depois de ficar duas vezes atrás no placar, o time rubro-negro conseguiu buscar o resultado mesmo após desperdiçar algumas oportunidades claras que criou. A principal delas com Éverton Ribeiro, ainda no primeiro tempo.

Na próxima rodada, semana que vem, o Flamengo encara o Unión La Calera, do Chile, no Maracanã. Antes, enfrenta o Volta Redonda pela Taça Guanabara. 

Em sua quinta edição seguida do torneio, o time carioca tenta se recuperar da decepção de 2020, quando foi eliminado nas oitavas de final. Mas ainda está longe de exibir o futebol que encantou e o levou ao título em 2019. 

Rogério Ceni manteve Arão na zaga e Diego no meio, e viu o Flamengo chegar a nove gols sofridos nas quatro últimas partidas. É só o time perder a bola no meio que se desorganiza completamente algumas vezes.

O time argentino, por sua vez, voltou à Libertadores após sete anos, e fez um jogo de segurança. Recuado, apostou no erro do adversário mesmo em seus domínios. 

A estratégia deu certo até o fim. Na disputa por espaços no começo, o Flamengo não conseguiu entrar na área do Vélez, que se preparou para o contragolpe e teve sucesso. 

Após bola perdida no meio, a defesa ficou exposta. Janson arranco, tocou para Lucero, que deixou Gustavo Henrique no chão após bote errado. Com Diego e Gerson atrasados, Janson apareceu livre para receber e concluir a gol. 

Quando Gerson conseguiu entrar na área, fez o Flamengo reagir. Primeiro, serviu Arão, que deixou tudo igual. Depois, Ribeiro, mas o meia finalizou de forma bisonha. 

No segundo tempo, o time argentino voltou mais firme ao ataque. Na bola aérea, Gustavo Henrique e Arão não se encontraram, e Janson aproveitou a condição de Filipe Luís para deixar o Vélez na frente outra vez. 

Embora estivessem apagados, o quarteto ofensivo do Flamengo teve lampejos suficientes para evitar a derrota. Quando recebeu no meio, Gabigol fez boa jogada na área e sofreu pênalti que ele mesmo converteu. 

Em contra-ataque pela direita, Arrascaeta recebeu no meio, sem marcação, e de perna esquerda, que não é a boa, acertou o ângulo.