Artesanato e cultura brasileira foram mote de Fabiana Milazzo na SPFW

PEDRO DINIZ E LUIGI TORRE

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A estilista Fabiana Milazzo quis falar de responsabilidade. Se uniu a três organizações que promovem o trabalho artesanal-o Instituto Tecendo Itabira, a ONG Ação Moradia e projeto Casulo Feliz, responsável pela produção e fornecimento de seda sustentável- e, juntos, criaram a coleção de estreia da mineira na São Paulo Fashion Week.

Inspirada na cultura e na natureza brasileiras, Milazzo bordou e estampou animais e plantas típicas do país em vestidos acinturados e saia ampla. Também criou texturas felpudas em blusas de mangas longas e fez cortes sinuosos em algumas de suas peças, em referência às curvas da arquitetura de Oscar Niemeyer.

Apesar de crise, a marca de Milazzo, uma das mais fortes da moda festa nacional, está em plena evolução. No ano passado, foi além do segmento em que ficou conhecida e lançou uma bem-sucedida linhas de "jeanswear". Na passarela, os blusões de jeans reciclados foram essenciais para modernizar a imagem da coleção.

E com uma loja recém-aberta em Los Angeles, seu olhar e valorização da própria cultura faz ainda mais sentido.