Arthur Lira é o pai do voto impresso, diz Bolsonaro

·2 minuto de leitura
Presidente Jair Bolsonaro e presidente da Câmara, Arthur Lira

Por Eduardo Simões

(Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira que o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), é o "pai" da proposta de voto impresso nas eleições, depois de Lira afirmar que determinou, na véspera, a criação da comissão da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que trata do assunto.

"O voto impresso tem nome. A mãe é a deputada Bia Kicis (PSL-DF) lá de Brasília e o pai é o Arthur Lira, que instalou a comissão no dia de ontem. Parabéns, Arthur! É um prazer estar do seu lado aqui", disse Bolsonaro ao inaugurar uma obra hídrica em São José do Tapera, em Alagoas.

Antes da fala do presidente, Lira reiterou o que afirmou em evento mais cedo em Maceió a respeito da comissão da PEC do voto impresso e fez uma defesa da medida.

"Foi criada ontem e deve estar sendo instalada hoje a comissão a Câmara dos Deputados para que a gente possa votar no plenário e daí mandar para o Senado em tempo hábil para que as providências sejam tomadas e a voz da população seja ouvida", disse Lira.

"Nós queremos votar e queremos ter a certeza que esse voto é confirmado da maneira que a gente colocou", acrescentou o presidente da Câmara.

A instituição do voto impresso é uma obsessão de Bolsonaro que, sem apresentar provas, coloca em dúvida a lisura do sistema eletrônico de votação no Brasil.

Ao contrário das alegações de Bolsonaro, de que o sistema eletrônico de votação não é auditável, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) já esclareceu que é possível auditar a eleição.

As eleições no país são acompanhadas por observadores internacionais e, desde a adoção da urna eletrônica, em 1996, nunca houve qualquer comprovação de fraude eleitoral.

(Reportagem de Eduardo Simões, em São Paulo)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos