Arthur Lira: “Ninguém é obrigado a cumprir decisões inconstitucionais”

·1 minuto de leitura
Presidente da Câmara, Arthur Lira, fala a jornalistas
Presidente da Câmara, Arthur Lira (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
  • Presidente da Câmara, Arthur Lira, afirmou que “ninguém é obrigado a cumprir decisões inconstitucionais”

  • Questionado por jornalistas, ele rebateu declaração do presidente do STF, Luiz Fux

  • Em resposta a Jair Bolsonaro, Fux disse que descumprir decisão judicial configura crime de responsabilidade

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), afirmou nesta quinta-feira (9) que “ninguém é obrigado a cumprir decisões inconstitucionais”.

Em pronunciamento na quarta (8), o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF|), Luiz Fux, disse que o desrespeito a decisões judicias configura crime de responsabilidade, o que deve ser analisado pela Câmara dos Deputados.

Leia também

“Essa é uma análise que o STF teve da fala [do presidente], assim como existem outras análises e nós vamos esperar para ver os acontecimentos”, disse. "A princípio, a assessoria jurídica está observando a fala na íntegra. Já temos alguns posicionamentos que falam que decisões inconstitucionais ninguém é o brigado a cumprir”, disse Lira, após ser questionado por jornalistas.

“Uma decisão correta da Justiça, lógico, que todos temos a obrigação de cumprir. Decisão da Justiça, já se diz, se cumpre. Se recorre, mas se cumpre”, acrescentou.

O presidente da Câmara foi bastante criticado por sua fala ontem, quando não criticou as declarações golpistas do presidente Jair Bolsonaro nos atos do 7 de Setembro.

Cobrado também pela abertura do processo de impeachment contra o chefe do Executivo, Lira descartou a possibilidade.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos