Arthur Nestrovski deixa direção artística da Osesp após 13 anos

Depois de 13 anos, Arthur Nestrovski deixa a direção artística da Fundação da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp), transferindo parte das funções ao suíço Thierry Fischer, diretor musical e regente titular do conjunto.

O anúncio foi feito nesta quinta-feira (27), com a mudança na iretoria e na estrutura de governança da orquestra após a conclusão de uma turnê internacional, com apresentações na série oficial do Carnegie Hall, em Nova York, e após a divulgação da Temporada Osesp 2023.

Durante a gestão de Nestrovski a Osesp fez a gravação integral das Sinfonias de Villa-Lobos, se apresentou em salas como a Philharmonie de Berlim e a participou de festivais como o BBC Proms. Como último ato antes de deixar a função, o compositor, violonista e crítico musical inaugurou uma nova seção da Mediateca da Osesp, criada a partir da doação de um acervo pessoal de cerca de dois mil livros sobre música, cultura e arte. A seção se chamará Acervo Arthur Nestrovski e ficará aberta à consulta pública.

A partir da Temporada 2024, a programação artística ficará a cargo de Fischer. "A Osesp já é uma orquestra de excelência e atrai atenção onde quer que se apresente. O próximo passo é um maior refinamento na execução e desenvolvimento dos músicos e do grupo como um todo, com foco na busca permanente da sua identidade. Uma visão integrada de programação e interpretação permitirá atingirmos resultados à altura da qualidade de nossos músicos e da instituição", declarou o maestro.