Articuladores de Lula alinham discurso em defesa de ministra desgastada por elo com miliciano

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Os ministros mais próximos do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) alinharam o discurso sobre a ligação da ministra do Turismo, Daniela Carneiro (União Brasil), com milicianos do Rio de Janeiro horas depois de se reunirem com o chefe do Executivo.

O Palácio do Planalto agiu nesta quarta-feira (4) para atenuar o desgaste gerado pela revelação de que o grupo político da escolhida pelo petista para o primeiro escalão do Executivo mantém vínculos com a família do ex-PM Juracy Alves Prudêncio, o Jura, condenado e preso sob acusação de chefiar uma milícia na Baixada Fluminense.

Em entrevista à imprensa, o ministro da Casa Civil, Rui Costa (PT), disse que não há "materialidade concreta" que comprometa Daniela.

"Não tem até aqui nenhuma outra repercussão, nenhuma materialidade concreta sobre nada que crie nenhum tipo de desconforto até o momento. Se surgirem coisas novas, aí é outra história. Mas até aqui não tem nada que provoque nenhum tipo de desconforto, não", afirmou, no Planalto.

O titular da Secretaria de Relações Institucionais, ministro Alexandre Padilha, elogiou Daniela e disse que nada do que surgiu até o momento desabona a colega de Esplanada.

"Tudo o que apareceu até agora, na minha opinião, não desabona em nada a grande deputada que é a deputada Daniela do Waguinho, que foi a deputada mais votada do Rio de Janeiro. Que na sua fala inicial, eu estava junto no convite ao Ministério do Turismo, deu uma demonstração assim de muita vontade de fazer um grande trabalho pelo Brasil", afirmou Padilha em entrevista à Globonews.

Na terça-feira (3), o ministro da Justiça, Flávio Dino (PSB), que tomou posse no cargo anunciando descobrir os autores do assassinato da vereadora Marielle Franco, também minimizou o episódio.

"A bem da verdade, políticas e políticos do Brasil, principalmente em momentos eleitorais, e, hoje, nesses dias de celular, têm fotos com todo mundo. O fato de ter uma foto com A, B ou C não significa ter ligação com as atividades eventualmente ilegais dessas mesmas pessoas. Eu penso que é possível, que é necessário a própria imprensa esclarecer melhor isso. Mas, até aqui, pelo que eu vi pela sua pergunta, se é uma foto não dá para jogar por foto", acrescentou.

A própria ministra também procurou minimizar o episódio. "Mais de 213 mil pessoas depositaram a confiança em mim. Está tudo sob controle; já mandei nota", afirmou à Folha.

Ao jornal O Globo ela disse que a revelação de que tem ligação com um miliciano não ameaça sua permanência no governo. "O presidente Lula e o ministro da Justiça me apoiam. Está tudo sob controle", afirmou Daniela.

Também disse que a associação às milícias por ter tirado fotos ao lado de um condenado por homicídio não é suficiente para vinculá-la aos crimes cometidos por policiais e ex-policiais no Rio de Janeiro. "Tive mais de 200 mil votos. Na campanha você tira foto com muita gente."

Conforme revelou a Folha, o grupo político da ministra do Turismo, Daniela Carneiro (União Brasil), e de seu marido, o prefeito de Belford Roxo, Waguinho (União Brasil), mantém há ao menos quatro anos vínculos com a família de Jura.

Daniela também teve o apoio da ex-vereadora Giane Prudêncio, mulher de Jura, nas eleições de 2018 e do ano passado.

O próprio miliciano se envolveu em atos de campanha de Daniela há quatro anos, quando cumpria as condenações por homicídio e associação criminosa em regime semiaberto.