ESA luta desde o espaço contra a poluição por plástico nos oceanos

Paris, 20 mar (EFE).- A Agência Espacial Europeia (ESA) anunciou nesta terça-feira que contribui para lutar contra a poluição dos oceanos com um novo projeto que pretende elaborar um mapa das maiores concentrações de resíduos plásticos para ajudar a compreender e tratar o problema.

As milhões de toneladas de plástico que acabam todos os ano nos oceanos, segundo indicou o organismo em um comunicado, "constituem um desafio mundial".

A agência decidiu abordá-lo com um programa que por enquanto avalia a viabilidade de medir opticamente via satélite os resíduos plásticos marítimos.

"Pode parecer uma missão impossível, mas temos motivos para acreditar que pode ser realizado, pelo menos em determinadas concentrações", explica na nota o supervisor do projeto, Paolo Corradi.

Com o apoio da ESA, duas equipes trabalham atualmente em paralelo com esse objetivo, um dirigido pela Argans Limited, na França, e outro por Plymouth Marine Laboratory, no Reino Unido.

Ambos, segundo a agência europeia, começaram em setembro com uma avaliação inicial dos requisitos e tecnologias necessárias.

A ESA destacou que o plástico apresenta uma pegada específica no infravermelho que às vezes é utilizada na indústria da reciclagem para separar objetos deste material de outros resíduos.

Corradi acredita que este estudo permitirá ter uma ideia do tipo de concentração de resíduos marítimos que pode ser visto desde a atmosfera com a tecnologia atual, ou apontar se será necessário operar desde uma altitude menor, utilizando aeronaves ou drones, ou com uma melhor tecnologia.

O objetivo final, segundo avança, é elaborar um mapa global dessas concentrações.

"As simulações estão muito boas, mas uma imagem baseada em medições reais ofereceria informação importante aos cientistas e teria mais valor para o público e os legisladores", conclui. EFE