Artistas e blocos tradicionais do Rio promovem carnaval virtual

Lívia Neder
·6 minuto de leitura

RIO — Este ano não vai ser mesmo igual ao que passou. A folia migrou para a internet e passa longe de aglomeração. O carnaval foi cancelado, mas não pelos internautas, que podem espantar a tristeza com os bailes-lives promovidos por artistas e tradicionais blocos do circuito Zona Sul-Centro. Respirar um pouco da festa em casa será um alento para os foliões. Para os que têm ar-condicionado, a festa ganhará até clima de camarote. Só não vale exagerar na purpurina e no confete, porque dá trabalho para limpar.

Defensora do cancelamento do carnaval de rua neste período de pandemia, Preta Gil fará duas lives com o objetivo principal de estimular as pessoas a ficarem em casa. Na sexta, ela estará na E-Carnaval SulAmérica, transmitida do Morro da Urca, da qual será mestre de cerimônias, ao lado de Péricles, Bell Marques e Jota Quest, que estarão virtualmente juntos, cada um em seu estado. No domingo de carnaval, dia 14, a cantora fará a live oficial do Bloco da Preta, no terraço do Bossa Nova Mall, no Santos Dumont, a fim de recolher doações para os catadores de latas e ambulantes do Rio que não contarão com a renda habitual neste período. Ela convidou Alcione, Mumuzinho e Teresa Cristina para darem o recado e animarem a festa.

— Agora estou animada. Passei um bom tempo pensando em não fazer nenhum movimento neste carnaval, mas lembrei de um catador de latinhas que me disse que esperava o dia do nosso bloco passar, pois tinha muito material para coletar. Também pensei nos ambulantes que costumo ver de cima do trio. Em poucos dias, reuni bloco, equipe, patrocinadores e os amigos que farão participações especiais para levarmos um pouco de alegria a quem ficar em casa — diz Preta.

A cantora foliã já faz planos para o fim da pandemia:

— Se depender de mim, o Bloco da Preta vira non stop. Sinto que atravessaremos um tempo de euforia e gratidão por estarmos vivos. E, se fizerem festa, podem chamar o bloco que a gente é bom em fazer o público esquecer as mágoas e lembrar o que é felicidade.

Embalado nessa folia virtual, o Bloco Céu na Terra vai promover três bailes, dois deles em formato de live. Serão dois pré-carnavalescos, nestes sábado e domingo e amanhã, sendo que o deste domingo é uma matinê. No baile do próximo sábado, dia 13, haverá uma homenagem aos seus foliões e ao carnaval de rua carioca. Levando a alegria das ruas para as telas, os cenários receberão os tradicionais bonecos e estandartes que alegram as ladeiras de Santa Teresa.

— O Céu na Terra nasceu fazendo teatro de rua. Então, o espaço público é a nossa casa. Claro que sentimos saudade do encontro com o público e com os integrantes do bloco, mas, neste momento tão difícil para o Brasil e para o mundo, não ocupar as ruas e não fazer aglomerações é uma ação cidadã. Pode parecer paradoxal, só que na pandemia as ruas vazias são uma forma de resistência contra o negacionismo e um gesto de respeito a todas as vítimas de Covid-19 — destaca Bianca Leão, fundadora do bloco.

Oficinas e canais exaltam sambistas

Apesar de ter sentido o impacto da pandemia, com a perda de 50% dos matriculados na oficina presencial de instrumentos, o Monobloco aproveita o momento virtual para reunir alunos e público de diversos lugares do Brasil e do mundo. Na terça, dez vídeos inéditos estreiam no canal dos bambas no YouTube, gravados de forma remota. Diretores, batuqueiros e cantores, cada um na sua casa, gravaram temas clássicos dos desfiles ensaiados nas oficinas de percussão, que seguiram acontecendo no universo virtual.

— Alunos que estavam morando em Portugal ou em outros estados voltaram para a oficina. Também fizemos uma com alunos do Japão. O fato de a gente ter se estruturado no formato on-line também abriu outras portas e criou oportunidades bacanas — conta Celso Alvim, um dos fundadores e mestre das baterias do Monobloco.

Alvim destaca a importância de não incentivar aglomerações no carnaval:

— Os grandes blocos, que têm uma responsabilidade com a segurança de seus desfiles, dos batuqueiros e dos foliões, não farão ação na rua. O que ficou possível foi o carnaval virtual. Todo mundo vai marcar presença nas redes, porque sabemos que o carnaval está muito presente na cultura e no coração dos brasileiros.

Unindo o carnaval do Centro ao da Zona Sul, os blocos Escravos da Mauá e Meu Bem Volto Já lançam o projeto “Do Leme à Praça Mauá — Histórias e músicas do carnaval carioca”, na sexta, no canal do YouTube Histórias e Músicas do Carnaval Carioca. Com roteiro e direção de Pedro Monteiro, a série terá 12 programas, de sete a dez minutos, que vão contar curiosidades sobre sambas e compositores que fizeram sucesso na folia da cidade entre os anos 1990 e dias atuais. Na estreia, serão exibidos dois episódios consecutivos.

A ideia é homenagear os blocos que saem com sambas autorais e os compositores que têm um olhar crítico sobre o cotidiano da cidade. Em cada episódio, integrantes e músicos dos grupos serão convidados a cantar e a contar lembranças da folia. A jornalista Rita Fernandes, presidente da Sebastiana, associação organizadora dos blocos de rua do Rio, vai comentar cada um dos episódios. Sambas emblemáticos de cada agremiação foram escolhidos e regravados pelos músicos Tiago Prata e Daniel Scisinio e pelos intérpretes Anderson Feife, Dorina e Nina Rosa.

— O objetivo é traçar um panorama de como o carnaval de rua do Rio se estruturou, vem mudando e se adaptando ao longo das décadas — diz Monteiro.

A programação para a criançada também será remota. Nascido e criado na Praça Pio XI, no Jardim Botânico, o Bloco da Pracinha, com repertório infantil, mantém a tradição de “concentra, mas não sai”, só que no YouTube, hoje, a partir das 10h.

Confira a programação:

Bloco da Pracinha

Neste sábado, às 10h, com transmissão pelo canal do YouTube Barbara Lau Música e Educação.

Bloco da Preta

A transmissão da folia acontecerá no dia 14, domingo, a partir das 16h, simultaneamente no canal da cantora no YouTube e em seu perfil do Instagram .

Céu na Terra

Transmissão no canal do YouTube Céu na Terra e no Facebook do bloco: neste sábado, às 17h, Live do Bloco Céu na Terra; amanhã, às 14h, Live Infantil do Bloco Céu na Terra; e dia 13, sábado, Baile de Carnaval do Céu na Terra, às 19h.

‘Do Leme à Praça Mauá’

De sexta até o dia 22 acontecerão exibições diárias, às 17h, no canal do YouTube Histórias e Músicas do Carnaval Carioca. e-Carnaval SulAmérica. Sexta, a partir das 18h, no canal da SulAmérica no YouTube, nos canais 500 e Like da Claro TV, nas rádios Mix Rio e SulAmérica Paradiso FM e pela nova plataforma de streaming SulAmérica Paradiso, que é acessada via aplicativo ou site (sulamericaparadiso.com.br).

Monobloco

Os dez vídeos estarão disponíveis a partir da próxima terça-feira, no canal oficial do bloco no YouTube.

SIGA O GLOBO-BAIRROS NO TWITTER (OGlobo_Bairros)