‘Às escondidas o presidente recebe deputada nazista’, critica Omar Aziz na CPI

·2 minuto de leitura
Foto: Reprodução/TV Senado
Foto: Reprodução/TV Senado
  • Presidente da Comissão se refere a encontro com Beatrix von Storch, neta do ministro das Finanças de Hitler

  • Senador lembra aproximação forjada por Bolsonaro com comunidade judaica

  • Aziz classifica encontro como afronta à Constituição e à democracia

No retorno dos trabalhos da CPI da Covid no Senado, nesta terça-feira (3), o presidente da Comissão, o senador Omar Aziz, lembrou o encontro do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) com a deputada federal da Alemanha Beatrix von Storch, neta do ministro das Finanças de Adolf Hitler, durante o regime nazista.

“Agora, faz diferença sim a nossa atuação aqui para que mais de 555.000 vidas que já se perderam não fiquem impunes”, declarou Aziz. “Diferente, às escondidas o presidente recebe uma deputada nazista, afrontando a Constituição brasileira, afrontando a nossa democracia, afrontando o Holocausto, afrontando o Exército brasileiro, que lutou contra o nazismo”.

Foto do encontro entre Bolsonaro e Beatrix von Storch foi compartilhada pela alemã nas redes sociais (Foto: Reprodução)
Foto do encontro entre Bolsonaro e Beatrix von Storch foi compartilhada pela alemã nas redes sociais (Foto: Reprodução)

E completou: “E aí ninguém abre a boca aqui para falar. Nós temos que respeitar o povo judeu”.

O encontro entre Bolsonaro e a deputado veio à tona quando ela compartilhou nas redes sociais uma foto com o presidente, no dia 26 de julho. Beatrix von Storch é vice-líder do partido, além de ser neta de Lutz Graf Schwerin von Krosigk, ministro nazista das Finanças. A política também é conhecida por manifestações públicas xenofóbicas.

Leia também

O senador lembrou também a aproximação do presidente com Israel.

“Eu vejo várias bandeiras de Israel nas manifestações do presidente Bolsonaro. E ele às escondidas apunhala. Quando é pra pedir ajuda, liga para o primeiro ministro de Israel. Mas para quando é para reunir às escondidas, se reune com uma deputada nazista”, pontuou.

Mesmo antes da foto com o presidente Jair Bolsonaro, a Confederação Israelita do Brasil emitiu uma nota de repúdio ao encontro, mas sem citar os deputados bolsonaristas.

A Conib lamentou que uma política alemã, representante do partido Alternativa para a Alemanha, tenha sido recebida em Brasília. A instituição caracterizou o partido de Beatrix como “extremista, xenófobo, cujos líderes minimizam as atrocidades nazistas e o Holocausto”.

Aziz também chamou atenção para a responsabilidade do Congresso Nacional em coibir ações como essa. “Isso aí, esse Congresso, o presidente do Congresso Nacional não pode se calar. O presidente da Câmara não pode se calar. Nós não podemos permitir isso. Nazismo não!”.

“Nós somos solidários ao povo judeu, que sofreu com o Holocausto. Solidários a todos aqueles que morreram na Segunda Guerra Mundial para salvar o mundo do nazifascismo. Fazemos isso falando, não às escondidas, tirando foto sorrindo com uma nazista. É isso que nós estamos vendo hoje no Brasil. É esse comportamento”, concluiu.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos