Asiático-americanos inauguram fundação contra crimes de ódio

·1 minuto de leitura
Jerry Yang, co-fundador e ex-CEO do Yahoo

Em resposta a uma onda de crimes de ódio racial, líderes asiático-americanos lançaram nesta segunda-feira (3) um grupo filantrópico que arrecadou cerca de US$ 250 milhões para combater a discriminação.

Chamado de "Fundação Asiático-Americana", o grupo tem como objetivo realizar "o maior compromisso filantrópico da história" em nome dos "asiático-americanos e das ilhas do Pacífico".

O lançamento formal será na terça-feira com mensagens dos ex-presidentes Bill Clinton, George W. Bush e Barack Obama.

A iniciativa foi anunciada cerca de seis semanas após uma série de ataques a casas de massagem na cidade de Atlanta (Geórgia, no sudeste do país), nas quais seis mulheres de ascendência asiática foram mortas.

A indignação também explodiu no final de março, depois de um ataque brutal a um asiático-americano de 65 anos em Nova York, cuja filmagem se tornou viral nas redes sociais.

O novo grupo visa apoiar "23 milhões de asiático-americanos e ilhéus do Pacífico no país e ajudar a nos unir na luta por nossa própria prosperidade", anunciou o presidente da fundação, Sonal Shah.

A fundação afirma ter levantado 123 milhões de dólares entre membros de sua direção, que inclui Li Lu, fundador e presidente da Himalaya Capital, o co-fundador do Yahoo, Jerry Yang, e altos executivos de várias empresas.

Seu site apresenta muitos "parceiros" corporativos, incluindo Amazon, Coca-Cola, Merck, Nike e Walmart. Segundo a imprensa americana, essas empresas prometeram um fundo adicional de 125 milhões de dólares.

jmb/ft/gm/llu/bn