Asilo incendiado não tinha alvará de funcionamento, diz prefeitura de SP

Carro de resgate do Corpo de Bombeiros - (Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros Militar)
Carro de resgate do Corpo de Bombeiros - (Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros Militar)

O asilo que pegou fogo em São Paulo neste sábado (10), matando seis pessoas e ferindo outras duas, não tinha alvará de funcionamento sanitário.

A informação foi confirmada pela prefeitura de São Paulo.

Por meio de nota, a Secretaria da Segurança Pública também disse que o local estava sem o AVCB, laudo de autorização do Corpo de Bombeiros. A ocorrência foi registrada no 49º Distrito Policial.

A prefeitura enviou uma Unidade de Vigilância em Saúde (UVIS) ao endereço da casa de repouso para realizar uma fiscalização e coletar mais informações sobre a presença de outros internos da residência, além dos que faleceram em decorrência da tragédia. O órgão informou que serão adotadas medidas cabíveis no âmbito de competência do Sistema de Vigilância em Saúde. A Subprefeitura regional também deve fazer uma vistoria no imóvel incendiado.

Incêndio

De acordo com análise da Defesa Civil, o fogo se concentrou em um dos cômodos do asilo, causando danos na laje, que apresenta abaulamento (expansão). Os demais cômodos não apresentaram danos estruturais. A Polícia Militar afirmou que o incêndio teve início na madrugada de sábado (10), mas que os bombeiros só foram acionados por volta das 7h, quando já não havia mais fogo.

Ao chegar ao local, o Corpo de Bombeiros encontrou seis corpos, sendo que cinco apresentavam rigidez cadavérica e outro estava carbonizado.

Duas mulheres que ficaram feridas por inalarem fumaça, foram levadas para o Hospital Geral de São Mateus.

A vizinhança da residência não tinha conhecimento de que ali funcionava um asilo. Eles disseram que sentiram cheiro de fumaça, mas que, no entanto, acharam que ele se originava de terrenos da região.

A polícia investiga o caso.