Assalto à fronteira de Melilla faz 18 mortos

Aumentou para 18 mortos e pelo menos 76 feridos o balanço do assalto à fronteira que separa Marrocos do enclave espanhol de Melilla, no norte de África. Ao todo, cerca de dois mil homens, todos oriundos da África subsaariana, tentaram simultaneamente trepar a barreira fortemente policiada que separa os dois territórios e chegar ao Eldorado europeu. Este foi o primeiro assalto em massa à fronteira desde que Espanha e Marrocos reataram as relações diplomáticas, em março, depois de décadas de costas voltadas devido à questão do Sara Ocidental.

Cerca de 130 homens conseguiram passar para o lado espanhol e foram para um centro de acolhimento temporário, enquanto aguardam uma solução que lhes permita ficar na Europa ou que implique um regresso forçado ao ponto de partida. As fronteiras com os enclaves de Ceuta e Melilla são um foco de tensão permanante. Em março do ano passado, um episódio semelhante levou 10.000 pessoas até à fronteira de Ceuta, no que foi visto como uma retaliação, por parte de Marrocos, ao acolhimento dado por Espanha a um líder da Frente Polisário.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos