CAC comprou armas usadas por quadrilha em assalto a carro-forte

Entre as armas compradas com licença CAC para assalto de carro-forte era um fuzil. (Foto: Divulgação/Polícia Civil)
Entre as armas compradas com licença CAC para assalto de carro-forte era um fuzil. (Foto: Divulgação/Polícia Civil)
  • Crime ocorreu em dezembro de 2021

  • Comprador CAC das armas usada em assalto a carro-forte foi preso

  • Outros quatro suspeitos também foram detidos

Assaltantes que atacaram um carro-forte em Guaíba, na Região Metropolitana de Porto Alegre, em dezembro de 2021, usaram armas compradas legalmente, segundo apontou investigações da Polícia Civil.

O comprador do armamento é um homem com licença de atirador esportivo. Ele teria recebido dinheiro de uma quadrilha para adquirir um fuzil e três pistolas. As informações são do portal g1.

O registro é da categoria Caçador, Atirador e Colecionador (CAC), concedido pelo Exército, de acordo com o delegado João Paulo de Abreu. O suspeito foi preso em fevereiro deste ano, mas já foi solto.

"Primeiramente, o homem ganhou R$ 2 mil pela compra do fuzil e de uma arma curta. Após, foi aliciado para que comprasse outras armas curtas não tendo recebido nada para tal, tendo em vista que foi ameaçado de morte", afirmou o responsável pelo caso.

O atirador vive em Getúlio Vargas (RS). A polícia informou que ele comprou e entregou as armas curtas entre 2020 e 2021. Já o fuzil foi adquirido em agosto de 2021.

O suspeito foi preso novamente. A operação permitiu a detenção de outras quatro pessoas envolvidas no crime, pelos crimes de comércio ilegal de arma de fogo e organização criminosa.

Destes presos, três - dois homens e uma mulher - eram liderados pelo quarto detido. Eles trabalhavam cooptando “laranjas” que poderiam emitir a certificação para compra e porte de armas.