Assassinos da cantora blogueira Aline Borel acreditavam que ela tinha ligação com milícia

A blogueira e cantora Aline Borel, de 27 anos, foi morta por traficantes que acreditavam que a vítima teria alguma ligação com um grupo de milicianos que tentava se instalar na região onde ela morava, em Araruama, Região dos Lagos do Rio. A conclusão é da Polícia Civil, que terminou as investigações. Agentes da 118ª DP (Araruama), em diligências no Bairro do Corte sob comando do titular Filipi Poeys Lima, identificaram quatro homens suspeitos pelo crime. Segundo as investigações, os bandidos acreditaram numa suposta amizade de Aline Borel com indivíduos que seriam ligados à milícia, tendo a desconfiança de que ela seria "olheira ou informante" desse grupo. A polícia, no entanto, descarta essa ligação de Aline com a milícia.

Violência: Comerciante é baleado em São Gonçalo durante tiroteio; um suspeito morreu

Alta tecnologia: Traficantes instalam câmeras escondidas em postes para monitorar rotina da polícia em Angra

Casos de estelionato: Suspeita de mais de 30 golpes furtou TV e sofá de apartamento após ser solta, diz dono de imobiliária

Ainda de acordo com as investigações, os autores saíram com a youtuber de moto após mostrarem a ela fotos de um dos homens da suposta milicia, tendo Aline afirmado que o conhecia. Também foi dito a ela que o homem teria que pagar pela liberdade dela. Segundo a polícia, foi neste momento que a cantora aceitou seguir com eles pois, segundo ela, todas as pessoas no bairro a conheciam "pelo seu jeito alegre e extrovertido de ser". A arma utilizada foi um revólver calibre 38. A polícia apura ainda se essa arma é a mesma que foi apreendida numa operação da Policia Militar feita no local após o crime.

Foram indiciados Luiz Henrique Mota Fersura, Natanel dos Santos Nunes, João Vitor Fernandes dos Santos e Ricardo Santos Oliveira. Este último teria sido o mentor do crime. Eles vão responder por homicídio triplamente qualificado. Todos já estavam presos por crimes como tráfico de drogas, associação para o tráfico, homicídio, roubo e porte ilegal de arma de fogo. Durante as diligências, a Polícia Civil apreendeu uma moto que teria sido usada para carregar Aline.

Parece, mas não é: Bandidos se passam por entregadores de aplicativo para cometer assaltos no Rio

Um dos sucessos da cantora era o funk gospel "É Cansativa a Vida do Crente", transformando-a em um ícone da internet. Outro vídeo dela que viralizou nas redes foi cantando "Eu Vacilei e Tô Ciente". Apesar de não atualizar a página do Instagram há mais de dois anos, Aline chegou a 42,9 mil seguidores. Na época da morte, o Centro de Referência da Assistência Social (Cras2) de Araruama, onde Aline fazia tratamento psicológico, publicou uma nota: "tristeza pela perda e tristeza pelas condições de sua morte, assassinato de modo brutal".

O corpo da blogueira foi encontrado às 10h20 do dia 21 de abril, na Rua Doutor Leal, por policiais militares numa ronda na Praia Seca. Ela vestia short preto com bolinhas brancas e uma camisa estampada florida. Segundo os peritos, não havia projéteis perto do corpo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos