Assembleia da Petrobras que vai avaliar indicações para o Conselho é marcada para 12 de abril

Bruno Rosa
·2 minuto de leitura

RIO — A Assembleia Geral Extraordinária (AGE) da Petrobras foi marcada para o dia 12 de abril, informou a estatal em nota. Somente essa Assembleia vai permitir a nomeação dos novos membros do Conselho. Após esta etapa, o novo presidente da companhia é eleito pelos conselheiros. Para ser presidente da Petrobras é necessário ser membro do Conselho.

Na quarta-feira, o Ministério de Minas e Energia fez mais duas indicações para o Conselho de Administração da companhia. Desta vez, foram apontadas duas mulheres: Cynthia Santana Silveira e Ana Silvia Corso Matte. O governo já havia indicado outros seis outros nomes, entre eles o do general Joaquim Silva e Luna, que havia sido sugerido para o cargo de presidente da estatal e membro do conselho no lugar de Roberto Castello Branco

Como o mandato de Castello Branco e da atual diretoria acaba no dia 20 de março, o advogado Leonardo Pietro Antonelli, conselheiro da estatal representante dos acionistas minoritários, explica que a lei prevê a possibilidade de prorrogação nos cargos de Castello Branco e dos diretores atuais da estatal.

— A lei prevê a possibilidade de prorrogação do presidente e seus diretores até serem feitas novas nomeações. Ou seja, podem continuar de forma interina nos cargos. Isso é uma forma de garantir a melhor governança, gerando segurança jurídica para que a empresa não fique acéfala — disse Antonelli, acrescentando:

— Castello Branco e os diretores não vão abandonar a companhia.

Eleito no ano passado, o advogado foi indicado pelo Fundo de Investimento em Ações Dinâmica Energia e Banclass Fundo de Investimento em Ações, administrados pelo Banco Clássico, para ser reconduzido ao cargo de conselheiro da estatal na próxima assembleia da companhia.

Há duas semanas, parte dos conselheiros anunciou que não iria permanecer na estatal após Jair Bolsonaro mudar o comando da estatal por conta dos aumentos nos preços nos combustíveis.

Comitê que analisará nome de general terá mudanças

A Petrobras também deve alterar a composição de seu Comitê de Pessoas (Cope), responsável por fazer a recomendação do novo presidente da Petrobras, o general Joaquim Silva e Luna.

O Cope também vai dar uma espécie de parecer para os novos integrantes do board. A União indicou oito nomes, após parte dos conselheiros pedirem para não serem reconduzidos em meio a preocupações de interferência política.

Hoje, o Cope é composto por quatro membros, dos quais somente dois, integrantes do Conselho, tem direito a julgar o preenchimento dos requisitos legais para ser conselheiro da empresa: Ruy Flaks Schneider e Antonelli. E ambos estão em processo de recondução. Por isso, a ideia é que a governança da estatal institua novos membros para o Cope a partir dos conselheiros que não precisam ser reconduzidos.