Assessor de Bolsonaro compartilha texto que diz que Constituição foi 'estrangulada de forma covarde' pelo STF

·1 minuto de leitura

O assessor especial da Presidência Max Guilherme Machado republicou em sua conta no Instagram um texto que afirma que a Constituição foi "estrangulada de forma covarde" pelo Supremo Tribunal Federal (STF). A publicação afirma que a Corte deu "deu duros golpes" na Constituição, "degolando todas as suas leis e decapitando todas as suas tentativas de manter o país vivo". Ao compartilhar a imagem, Machado escreveu: "Pura verdade!!!".

Machado atua no gabinete pessoal do presidente Jair Bolsonaro e costuma acompanhá-lo na maioria dos compromissos. Policial licenciado do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), ele tem sido estimulado a concorrer a deputado federal nas eleições do próximo ano.

Na quarta-feira, Bolsonaro fez um discurso repleto de recados indiretos ao STF. O presidente afirmou que estuda editar um decreto para garantir o que ele chamou de "direito de ir e vir" e disse que, se ele for publicado, "não será contestado por nenhum tribunal".

Bolsonaro também chamou de "excrescência" uma decisão da Corte que garantiu autonomia para governadores e prefeitos tomarem medidas restritivas durante a pandemia e disse que, caso o Congresso aprove o que chamou de "voto auditável", "ninguém vai contestar, em lugar nenhum". O STF já considerou inconstitucional uma outra proposta que previa a impressão do voto.

"Morre aos 33 anos de forma trágica a Constituição da República Federativa do Brasil. Nascida no dia 5 de outubro de 1998, tentou de todas as formas imprimir a democracia no Brasil, mas o seu guardião, o STF, deu duros golpes em sua cabeça, decepando todas as seus leis e decapitando todas as suas tentativas de manter o país vivo. Foi estrangulada de forma covarde pode onde homens vestidos de preto. #VouPraGuerraComBolsonao", diz o texto compartilhado, em forma de imagem, por Machado.